Institucional > FIEP

Proposta da Fiep é urgente , afirma Seraglio

Parlamentares Gustavo Fruet, Osmar Serraglio e Antonio Carlos Biscaia aprovam a proposta da Federação de implantação de Constituinte exclusiva

A proposta do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná pedindo uma Assembléia Constituinte exclusiva foi bem aceita pelos três deputados federais que participaram nesta segunda-feira (07) do debate da Reforma Política. A sugestão da Fiep será defendida pelos deputados federais Osmar Serraglio, Gustavo Fruet, respectivamente relator e sub-relator da CPI dos Correios, e pelo presidente da Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania da Câmara Federal, Antonio Carlos Biscaia.

“Líderes empresariais de todo o país têm manifestado preocupação com a realidade nacional. Acham que a administração da crise política impede o governo de governar”, analisa o presidente do Sistema Fiep, Rodrigo da Rocha Loures. Ele defende a convocação de uma constituinte exclusiva para debater a proposta de transformação da base do sistema eleitoral, que inclui o voto distrital, direito de cassação de mandato de deputados e alterações nas regras para o financiamento de campanhas.


“A proposta da Fiep deve ser implementada urgente, para que as próximas eleições sejam mais transparentes”, afirma Osmar Serraglio. Segundo ele, o que se tem apurado nas investigações da CPI evidenciam falhas graves no processo de financiamentos eleitorais.

“O prazo legal para as mudanças de 2006 já encerraram, mas esta reforma precisa sair do papel, para dar credibilidade ao setor político”, afirma o presidente da CCJ, Antonio Carlos Biscaia.

O petista Biscaia critica o fato do governo Lula não ter se empenhando em cumprir uma das promessas de campanha que era a reforma dos modelos sociais brasileiros. “Não foram realizadas as reformas politica, a trabalhista, tributária, e a da previdenciária e a do judiciário ficaram capengas”, afirma.

Para o deputado Gustavo Fruet, este tipo de mudança é difícil, mas precisa ser feita. “Vai existir resistência do deputado que hoje ocupa o cargo, mas é preciso fazer esta mudança para modernizar o Pais”, finaliza.


About Author