Institucional > FIEP

Formação esportiva

Meta do Sesi é beneficiar 300 mil Crianças e adolescentes até 2012

Meta do Sesi é beneficiar 300 mil Crianças e adolescentes até 2012


O tema está sendo discutido no encontro em Guaratuba, no Paraná, com a presença de profissionais de esporte e lazer de todos os Estados


O programa de formação esportiva proposto pelo Sesi Nacional é o tema principal do encontro realizado nesta semana, em Guaratuba, no litoral do Paraná, com a presença de profissionais da área de esporte e lazer de todos os Estados. O objetivo é apresentar o “Atleta do Futuro”, projeto já implantado em São Paulo e Paraná, como uma boa prática de formação esportiva aliada a ações socioeducativas, a ser adotada pelos demais Estados.

“A idéia é estimular a disseminação do Atleta do Futuro porque o projeto que atende ao princípio básico do programa de formação esportiva do Sesi, que é de, através do esporte, construir a base da cidadania de crianças e adolescentes e contribuir para a futura geração de trabalhadores das indústrias”, explica gerente executivo de Cultura, Esporte e lazer do Sesi Nacional, Eloir Edílson Simm. O programa de formação esportiva do Sesi é voltado a filhos de industriários e também a crianças e jovens de comunidades do entorno das empresas e da comunidade em geral.

Segundo Eloir Simm, a meta é alcançar 300 mil crianças e adolescentes até 2010, chegando a 500 mil até 2012. “Neste ano a meta é alcançar 40 mil crianças e adolescentes”, disse ele.

O Atleta do Futuro, que é o programa de formação esportiva já em curso, beneficia hoje mais de 30 mil crianças e adolescentes paulistas e paranaenses. Em São Paulo, o projeto está implantado em 47 municípios, a maioria em parceria com as prefeituras. No Paraná o projeto envolve parceria diretamente com as indústrias. Segundo o coordenador da área de esporte e lazer do Sesi Paraná, Roberto Costacurta, existem hoje no Estado dez núcleos do projeto, envolvendo 12 indústrias do Estado.

Para o coordenador da área de esporte do Sesi Nacional, Rui Campos, a unificação, para todos os departamentos regionais do Sesi, do programa de formação esportiva é fundamental para dar mais eficiência e abrangência às iniciativas. “A unificação da metodologia e tecnologia, da gestão do programa, dos modelos de parceria com as empresas e poder público, vai garantir além de mais eficiência, melhor acompanhamento e controle das ações, além de mais visibilidade às indústrias e ao Sesi”, afirmou ele.

Durante o encontro em Guaratuba os participantes puderam ouvir a palestra do analista do programa Acidente Zero do Sesi São Paulo, Mário Sérgio Quaranta, que falou sobre a educação de crianças e adolescentes para a prática segura do esporte. Quaranta e a analista do Atleta do Futuro em São Paulo, Luciana Ventola, falaram também sobre a formação esportiva para alunos especiais.

Cidadania – O Atleta do Futuro é baseado em três grandes eixos, segundo explica Luciana Reguera Ventola, analista do projeto do Sesi Paulo e a responsável pela sua concepção e desenvolvimento da metodologia (em parceria com a Unesp). O primeiro é o eixo técnico, que trata do desenvolvimento da base motora, respeitando a fase natural das crianças. “O que se quer é que a criança tenha acesso a diversas atividades esportivas, aprendendo de acordo com a capacidade natural da idade”, explica Luciana.

O segundo grande eixo do projeto são os temas transversais – ética, pluralidade cultural, trabalho e consumo, saúde, orientação sexual e meio ambiente – trabalhados como estratégias de aulas ou através de eventos. O outro eixo é o do envolvimento da família.

No Paraná, o Atleta do Futuro está implantado em Curitiba, Toledo, Arapongas, Apucarana e Cascavel beneficiando cerca de 5.000 crianças e adolescentes, através de diversas modalidades esportivas. São parceiras do Sesi Paraná neste projeto, entre outras empresas, a Votorantim, a Sadia (Toledo), a Robert Bosch e a Landis Gyr (Curitiba), a Gelita (Maringá). Em Cascavel, o número de crianças atendidas chegará a 2.000 neste ano. No município, o projeto tem a parceria da Secretaria Municipal do Esporte, da Fundação Assis Gurgacz e das empresas Globoaves, Kopp Brindes e Rodovia das Cataratas.

About Author