Senai vai qualificar quase 4 mil beneficiários do Bolsa Família no Paraná

Pessoas beneficiadas pelo programa podem se cadastrar em uma agência do Sistema Nacional de Emprego (SINE) de Curitiba. Cursos são oferecidos na capital e em 25 municípios da Região Metropolitana

Desempregada, mãe cinco filhos e responsável direta pelo sustento da família, Ana Cristina Paiter Kchler, de 40 anos, é um dos 11 milhões de brasileiros beneficiários do Bolsa Família. No Paraná, ela se soma a um exército de 405.400 pessoas. Para complementar a renda, Ana faz de tudo um pouco. Até recentemente vendia jornais nos sinaleiros do Centro de Curitiba. Hoje vende pães de porta em porta, no Campo Comprido, na periferia da cidade.

Recém-matriculada no curso gratuito de Qualificação em Construção de Edifícios I do Senai, Ana Cristina agora quer um diploma profissional. “É a primeira vez que recebo uma qualificação. É uma chance para mudar de vida”, considera. Depois que terminar o curso, que tem duração de 200 a 240 horas, ela pretende atuar na área hidráulica. “Antes mesmo de concluir o curso vou tentar ganhar um dinheirinho extra oferecendo o serviço de limpeza de caixas d’água”, conta.

O curso faz parte do Plano Setorial de Qualificação Nacional da Construção Civil (Planseq), voltado para os beneficiários do Bolsa Família em todo o Brasil. No Paraná, primeiro Estado a operacionalizar os cursos, o Senai é a instituição que desenvolve a formação profissional. Ao todo serão qualificados 3.856 alunos em Curitiba e em mais 25 cidades da Região Metropolitana.

Ana Cristina é um dos quase 4.000 paranaenses que ganharão a oportunidade de aprender uma nova profissão na área da Construção Civil até o fim do ano. “Muitas pessoas que recebem o Bolsa Família se acham incapazes de aprender algo novo para trabalhar. Com esse investimento em profissionalização elas terão mais chances de ter um bom emprego e, com isso, muito mais dignidade”, diz a vendedora.

Também buscando uma qualificação profissional, Silmara Ribeiro, de 32 anos, pretende partir para uma profissão um pouco mais ousada. “Quero fazer o curso de operador de retroescavadeira”, garante. Desempregada e mãe de três filhos, ela recebe o benefício do governo há dois anos.

“O que me motiva é saber que lá no final terei as portas abertas no mercado de trabalho”, comenta Silmara, que além de manter sozinha o sustento dos filhos, cuida da saúde de seu pai, um senhor de 62 anos que sofre de insuficiência renal crônica e glaucoma. “Dedico muitas horas do meu dia para fazer a diálise no meu pai. Isso não me impede de fazer o curso: de manhã venho pra cá (Escola do Senai, no bairro Parolin), à tarde cuido do meu pai, além de estudar e fazer algumas entregas de peças de caminhão, para ajudar no orçamento”, afirma.

Em Curitiba, as aulas são realizadas na unidade do Senai Construção Civil, no bairro Parolin, no período da manhã. Nos demais municípios, os cursos acontecerão nas unidades do Senai mais próximas ou em locais determinados por meio de parcerias.

O Planseq Bolsa Família acontece através de um convênio assinado em dezembro do ano passado entre o Senai Paraná e o Ministério do Trabalho e Emprego. O Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Estado do Paraná (Sinduscon) e a Câmara Brasileira da Indústria da Construção apoiam a iniciativa.

Como participar?

Para participar os beneficiários devem se dirigir a uma agência do Sistema Nacional de Emprego (SINE), levando a carteira de identidade (RG), o Número de Identificação Social (NIS) ou o PIS, e a Carteira de Trabalho. Quem não tem Carteira de Trabalho pode apresentar um documento de identidade, como RG ou Certidão de Nascimento.

Depois da inscrição é só aguardar a convocação para os cursos. Por enquanto, apenas as agências de Curitiba estão cadastrando os interessados. Para se inscrever é preciso ser membro de uma família beneficiária do programa, maior de 18 anos e ter completado pelo menos a 4.ª série do Ensino Fundamental.

Os beneficiários do programa podem escolher entre seis cursos: Construção de Edifícios I, Construção de Edifícios II, Instalações, Estrutura e Montagem, Equipamentos para Construção e Máquinas para Obras de Terra.

Cada um contempla uma formação técnica geral e de duas a três formações específicas para a área, como: pedreiro, azulejista, reparador, gesseiro, pintor, encanador, eletricista, instalador industrial, carpinteiro, armador, operador de betoneira mecânico de manutenção, operador de caminhão, operador de retroescavadeira e operador de trator.

About Author