Parceria da CNI/Fiep e Sindirepa leva programa do Senai a 37 empresas

A metodologia do programa e os benefícios da parceria para as empresas foram apresentados aos empresários em encontro realizado no Cietep

clique para ampliar clique para ampliarO presidente do Sindirepa, Wilson Bill, com empresários do setor e profissionais da Fiep e do Senai, no encontro realizado no Cietep (Foto: Gilson Abreu)

Um grupo de 37 empresas da base do Sindicato das Indústrias de Reparação de Veículos do Paraná (Sindirepa) irá implantar o Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS), com a consultoria do Senai Paraná. A iniciativa é uma parceria da CNI/Fiep, por meio do Programa de Desenvolvimento do Associativismo (PDA), com o Sindirepa e o Senai-PR.

A metodologia do programa, bem como os benefícios da parceria para as empresas, foram apresentados aos empresários em encontro realizado na noite de terça-feira (01), no Cietep. A implantação do programa será subsidiada pelo Sindirepa, com a parceria da CNI/Fiep.

O PDA é desenvolvido pela CNI junto com as federações de indústrias e visa valorizar os sindicatos empresariais e fortalecer o relacionamento com as empresas de suas bases. “A demanda por implantação do PGRS foi evidenciada nas Clínicas Sociais e Tecnológicas realizadas pelo Sesi e o Senai Paraná. A partir disso, inserimos o projeto no PDA 2010”, explica Milton Bueno, diretor de Relações com Sindicatos e Coordenadorias da Fiep.

O Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos minimiza, segrega e destina de forma adequada os resíduos gerados no processo produtivo. Isso torna a empresa menos vulnerável a sanções legais e ameniza os riscos de geração de passivos ambientais.

Segundo o presidente do Sindirepa, Wilson Bill, a implantação do PGRS vai preparar as empresa para a nova legislação que trata dos resíduos sólidos. “A lei, que já foi sancionada e está agora em fase de regulamentação, impõe obrigações de gerenciamento de resíduos”, disse ele.

O gerente de Tecnologia Industrial do Senai Paraná, Reinaldo Tockus, lembrou que o Sindirepa Paraná foi o primeiro sindicato a estimular as empresas a implantarem o PGRS. Com este novo grupo, chega a 100 o número de empresas do setor a adotar o programa.

“Neste projeto, as 37 empresas serão atendidas em grupo, o que permite racionalização de custos e sinergia na busca de soluções comuns”, diz Tockus. “O projeto é não só uma adequação das empresas à legislação ambiental, mas também um exercício de cidadania e responsabilidade social e ambiental”, afirma ele. A consultoria para implantação do PGRS é prestada pelo Senai Empresas – linha de atuação que oferta serviços técnicos e tecnológicos às indústrias. A previsão é que a implantação comece ainda em setembro e esteja concluída até, no máximo, a primeira quinzena de janeiro de 2011.  

O empresário Wellington Luiz Padilha, da Rui Barbosa Peças e Serviços, gostou a iniciativa. “O gerenciamento de resíduos ajuda o meio ambiente, evita sanções e, além disso, contribui para a competitividade da empresa”, disse ele. Sua empresa tem com 25 funcionários e está localizada em São José dos Pinhais. “Essa é uma excelente oportunidade de acesso ao programa do Senai”, disse Padilha.

 

 

 

 

About Author