Rocha Loures anuncia medidas para valorizar catadores de material reciclável

O presidente do Sistema Fiep participou da reunião que comemorou os 10 anos do Fórum Lixo e Cidadania, realizado nesta sexta-feira, no Cietep, em Curitiba

Rocha Loures: catadores são empreendedores da moderna economia

O presidente do Sistema Fiep, Rodrigo da Rocha Loures, anunciou nesta sexta-feira (6), durante a reunião do Fórum Lixo e Cidadania, diversas iniciativas para valorizar, dar formação profissional e apoiar o desenvolvimento dos catadores de material reciclável. O Sesi e o Senai Paraná vão atuar para desenvolver tecnologia apropriada para o trabalho dos catadores e também técnicas de gestão para suas cooperativas. Será também criado um programa de capacitação profissional nessa área.

No encontro, que comemorou os 10 anos do Fórum Lixo e Cidadania e teve a presença de centenas de catadores e suas lideranças, Rocha Loures anunciou, também, a criação de uma escola do Senai-PR, que irá dar suporte ao desenvolvimento profissional dos catadores.

Logo após o evento, Rocha Loures coordenou uma reunião com representantes dos catadores, do Ministério Público do Trabalho, da Fiep, do Sesi e do Senai, além de representantes de empresas e de sindicatos, que formaram um grupo de trabalho para encaminhar estudos técnicos, identificar as demandas de capacitação e profissionalização e executar medidas que auxiliem na melhoria da produtividade do trabalho dos catadores.

O presidente do Sistema Fiep propôs outras medidas, como a campanha para valorização da imagem dos catadores perante a opinião pública. “Valorizar a imagem do catador perante a opinião pública certamente abrirá caminho para outras questões essenciais, como a mudança na legislação, para que a gestão do lixo seja feita de forma mais transparente e sustentável e que passe a incluir os catadores”, afirmou Rocha Loures.

O cotidiano de homens e mulheres catadores de resíduos sólidos, a realidade das famílias, suas dificuldades e anseios foram mostrados em vídeo que abriu o Fórum Lixo e Cidadania. Os depoimentos do catador Sebastião Santos, do Rio de Janeiro, protagonista do documentário “Lixo Extraordinário”, de Luiz Henrique Silva, da  Comissão Nacional do Movimento Nacional de Catadores de Recicláveis, e de Marilza Aparecida de Lima, representante no Paraná do Movimento Nacional de Catadores de Recicláveis, emocionaram os participantes do evento.

“Vocês não são apenas trabalhadores, mas empreendedores, daqueles de buscam resultados econômicos, mas que fazem isso pensando no impacto social e ambiental”, afirmou Rocha Loures, “Esse trabalho é um exemplo da nova economia mundial. A economia em que o próprio negócio faz bem para o mundo. O que vimos nos depoimentos mostra que os catadores são pessoas criativas, que se dão conta da própria capacidade, que souberam resgatar a autoestima e a confiança”, declarou.

Sensível – Para o secretário do Trabalho e Emprego, Luiz Cláudio Romanelli, as propostas do presidente do Sistema Fiep são extremamente positivas. “Estamos dispostos a atuar em parceria com a Fiep buscando criar um modelo operacional economicamente viável para os catadores de material reciclável”, afirmou ele.

As iniciativas anunciadas por Rocha Loures para serem implementadas pelo próprio Sistema Fiep, bem como as propostas a serem encaminhadas pelo grupo de estudos, foram bem recebidas. “São propostas sólidas, que mostram a sensibilidade do presidente do Sistema Fiep”, disse a procuradora do Trabalho, Margaret Matos de Carvalho, coordenadora do Fórum Lixo e Cidadania. “Estamos muito satisfeitos com o resultado da reunião”, afirmou ela.

Para Laersio Chiesorin Junior, Procurador Geral do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas do Paraná, o apoio manifestado pelo presidente do Sistema Fiep é  decisivo  e efetivo. “Saímos do estágio de discurso e já entramos na articulação de ações. Isso é um avanço imensurável”, afirmou.

Participaram da reunião do Fórum Lixo e Cidadania, o procurador geral de Justiça do Paraná, Olympio de Sá Sotto Maior Neto; o procurador-chefe da Procuradoria Regional do Trabalho da 9ª Região, Ricardo Bruel da Silveira; o Procurador de Justiça do Paraná, Saint Clair Honorato Santos; a desembargadora Federal do Trabalho, Ana Carolina Zaina; o gerente de Desenvolvimento Sustentável do Banco do Brasil no Paraná, Márcio Alexandre Rockenbach; o prefeito de Tibagi, Sinval Silva, e o presidente da Fetraconspar,  Geraldo Ranthum.

Dez anos – O Fórum Lixo e Cidadania foi criado pelo Instituto Lixo e Cidadania, por sua vez originado de um movimento social de âmbito nacional, pela erradicação do trabalho infantil nos lixões do Brasil. O Instituto Lixo e Cidadania tem como objetivos a promoção de ações sociais, culturais e sócio-econômicas visando a erradicação do trabalho infantil; a experimentação não lucrativa, de novos modelos sócio-produtivos; a realização de estudo, pesquisa e desenvolvimento de tecnologias alternativas.

Para comemorar os 10 anos do Fórum, diversas entidades foram homenageadas por iniciativas socioambientais. Um deles foi o Sindicato das Indústrias de Bebidas do Estado do Paraná (Sindibebidas-PR), pelo projeto socioambiental Central de Valorização de Materiais Recicláveis (CVMR). A homenagem foi feita ao presidente do Sindibebidas-PR, Nilo Cini Junior.

About Author