Coluna > Coluna semanal

Desafios e oportunidades da logística reversa

1º Seminário Paranaense de Logística Reversa vai apresentar o status da implementação dessa prática no Paraná

A correta destinação de resíduos gerados após o consumo de produtos industrializados é uma preocupação de empresas e associações dos mais variados segmentos. Mais do que uma previsão legal, instituída pelo Plano Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), de 2010, a chamada logística reversa é um caminho para que a indústria se torne mais sustentável e vislumbre novas oportunidades de negócios.

No Paraná, o setor industrial tem se debruçado sobre esse tema desde 2012. Naquele ano, por articulação da Fiep, sindicatos empresariais ligados a diferentes cadeias produtivas assinaram termos de compromisso com a Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sema), iniciando as discussões para a elaboração de planos de logística reversa no Estado.

Desde então, vários setores avançaram nesse processo, com iniciativas concretas já em andamento. Com isso, a indústria paranaense se antecipou às exigências legais, buscando soluções viáveis para a destinação ambientalmente adequada dos resíduos decorrentes de sua atividade. Uma das mais recentes iniciativas, lançada no último mês de julho, foi a criação do Instituto Paranaense de Reciclagem (InPAR), que vai atuar principalmente para a o correto descarte ou reutilização de embalagens das indústrias de alimentos.

Responsabilidade compartilhada
Apesar de exercer papel central nessa questão, a indústria não é a única responsável pela logística reversa. O PNRS considera que fabricantes, comerciantes, importadores, distribuidores, consumidores e o poder público têm responsabilidade compartilhada pelos resíduos resultantes do pós-consumo dos produtos.

Portanto, a definição e implantação de ações para viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, deve envolver toda a sociedade. Justamente para despertar essa necessidade, além de apresentar o status da implementação dessa prática no Paraná, a Fiep promove o 1º Seminário Paranaense de Logística Reversa.

Panorama atual e experiências
O evento, que acontece nesta quarta-feira (18), no Campus da Indústria do Sistema Fiep, em Curitiba, vai discutir os desafios e as oportunidades que a exigência da logística reversa traz para a indústria. Ele tem como correalizadores a Sema, o InPAR e o Sindicato das Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Paraná (Sinqfar/PR).

No seminário, será apresentado o histórico das ações desenvolvidas no Estado até aqui. Também serão mostrados vários casos práticos já implantados por indústrias ou setores para a destinação de resíduos pós-consumo, como medicamentos, embalagens de bebidas, filtros automotivos e compósitos, entre outros. Serão debatidos, ainda, os aspectos ambientais, econômicos, sociais e legais envolvidos no processo de logística reversa.

SERVIÇO
1º Seminário Paranaense de Logística Reversa
Data: 18/10
Horário: 9h às 18h
Local: Campus da Indústria do Sistema Fiep
Para mais informações e inscrições, clique aqui.

About Author