Consultores da França e Finlândia trazem experiência para projetos do Sesi

Os profissionais auxiliaram no desenvolvimento do trabalho intergeracional e promoveram debate sobre o envelhecimento ativo e saudável do trabalhador

Em estudo desenvolvido pelo Centro de Estudos e Debates Estratégicos Consultoria Legislativa, foi constatado que, com a redução da população em idade ativa, haverá o aumento do tempo de trabalho dos indivíduos, impactando diretamente sobre a aposentadoria. Buscando reinvenção e conhecimento, o Centro de Inovação Sesi em Longevidade e Produtividade, trouxe a Curitiba consultores internacionais. O objetivo da visita foi validar o modelo de atuação das indústrias do estado do Paraná, com foco no relacionamento intergeracional e envelhecimento ativo.

Dentro das atividades realizadas pelos consultores estavam palestras, visitas e workshops voltados a promoção da integração e do bom relacionamento entre trabalhadores de diferentes idades. O consultor francês, Georges Hornn, profissional de gestão intercultural e intergeracional, realizou, de 16 a 26 de outubro, palestras e visitas técnicas em empresas de grande porte sediadas em Curitiba e Região Metropolitana.

O foco das palestras foi a promoção da integração e do bom relacionamento entre gerações. “Estou muito impressionado com o domínio de conceitos e com as ferramentas desenvolvidas pelo centro do Sesi. No entanto, ainda precisamos ter mais trabalhadores de diferentes idades dentro da indústria, contribuindo para um melhor ambiente laboral”, diz Georges Hornn.

Parceria com o Instituto Finlandês de Saúde Ocupacional

Na Finlândia, o envelhecimento da população já é uma realidade. O Finnish Institute of Occupational Health (FIOH), que é referência mundial em saúde e segurança do trabalho, vai auxiliar o Sesi com ferramentas e metodologias já validadas na Europa para promoção do envelhecimento ativo e saudável do trabalhador da indústria. O Sesi realizou, de 23 a 27 desse mês, dias de imersão com a especialista do Instituto Finlandês de Saúde Ocupacional, Anna Tienhaara, para lapidar as metodologias desenvolvidas pelo centro. O projeto de imersão aperfeiçoou os projetos Trabalho em Equilíbrio e Gestão da Longevidade Produtiva.

De acordo com coordenadora técnica do Centro, Noélly Mercer, a parceria agrega para o que está sendo desenvolvido para as indústrias nacionais. “A Finlândia tem estudos demonstrando que a capacidade de trabalho não diminui conforme a idade. Essa pesquisa ajuda na conscientização das empresas e fundamentação da importância do trabalhador sênior na indústria”, explica. O lançamento de novos projetos do Sesi, em parceria internacional com a Finlândia, está previsto para o início de 2018.