Senai no Paraná facilita contratação de jovens aprendizes para indústrias

O serviço concilia as necessidades de empresas e jovens que buscam experiência dentro do mercado de trabalho

O último estudo feito pelo Ministério do Trabalho mostra que o Paraná contratou mais de 12 mil jovens aprendizes no primeiro semestre de 2017. O número pode parecer alto, mas o Estado tinha potencial, de acordo com o estudo, para contratar 47 mil jovens nesse período, ou seja, apenas 20,25% do seu potencial de aprendizes foi contratado*. Essa situação deve-se às exigências das empresas por aprendizes com maior qualificação e conhecimento.

O Sistema Fiep oferece programas de Aprendizagem Industrial para jovens, entre 14 e 24 anos, em parceria com as Indústrias do Estado. Por meio dos cursos de aprendizagem do Senai no Paraná, empresas contratam jovens, por tempo determinado (até dois anos), atendendo por lei à cota de aprendiz e investindo na formação de novos profissionais. Estabelecida desde 2005, a Lei da Aprendizagem determina que as empresas de médio e grande porte contratem um número de aprendizes equivalente a 5% e 15% do seu quadro de funcionários.

A lei garante vantagens para os dois lados. O jovem ganha formação técnica, aprende na prática, troca experiências dentro da indústria e ganha mais qualificação. Para as indústrias, a vantagem é formar seus próprios funcionários, de acordo com a cultura da empresa, o que aumenta a produtividade e a padronização de atividades internas.

prendiz na área de produção, como Operadora de Torno CNC, na empresa HAAS do Brasil, Emanuelle Bote começou o programa em 2016 e conta que, desde então, tem adquirido experiência profissional e pessoal. “O meu trabalho só se desenvolve e evolui por meio da comunicação com funcionários com mais experiência, assim eu ganho maturidade e seriedade. Apesar da área do torno ser comumente masculina, também aprendi a mostrar que o trabalho na indústria é para os dois gêneros”, explica.

A gerente de Educação Profissional do Sistema Fiep, Vanessa Sorda Frason, ressalta que a formação dos jovens também contribui para o desenvolvimento da região em que vivem e trabalham e isso traz benefícios a toda a comunidade. “Nossos cursos são formatados em conjunto com as indústrias. Assim, o perfil dos alunos que formamos está adequado às necessidades do mercado de trabalho. Os estudantes vivenciam o mundo profissional, aliando sempre a formação de teoria e prática”, destaca Vanessa.

Como funciona

As empresas podem contratar os alunos dos cursos de Aprendizagem Industrial do Senai ou indicar candidatos para participar do processo seletivo. Os que forem aprovados podem ser contratados como aprendizes. Os cursos são nas mais diversas áreas industriais, com duração que varia de um a dois anos – período que coincide com o de contrato de trabalho. O Senai no Paraná pode, ainda, formar turmas exclusivas para as indústrias que precisem contratar 20 ou mais aprendizes. Interessados podem entrar em contato com a unidade Senai mais próxima ou pelo site www.senaipr.org.br/aprendizagem.

* Esse valor é calculado a partir do número potencial de aprendizes (60.024), pela quantidade de jovens efetivamente empregados (12.155).

SOBRE O SISTEMA FIEP

O Sistema Fiep é composto pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Serviço Social da Indústria (Sesi), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e Instituto Euvaldo Lodi (IEL). As instituições trabalham integradas em prol do desenvolvimento industrial. Com linhas de atuação complementares, realizam a interlocução com instâncias do poder público, estimulam o fomento de negócios nacionais e internacionais, a competitividade, a inovação, a tecnologia e a adoção de práticas sustentáveis e oferecem serviços voltados à segurança e à saúde dos trabalhadores, à educação básica de crianças, jovens e adultos, à formação e ao aperfeiçoamento profissional, à formação de nível superior, além de capacitação executiva. As Faculdades da Indústria têm se firmado como organização que contribui para o desenvolvimento das indústrias e o desenvolvimento da sociedade. Sistema Fiep: nosso i é de indústria.

About Author