Conheça as equipes campeãs do Torneio Nacional de Robótica 2018

Times de São Paulo, Goiás e Alagoas garantiram vagas em torneios internacionais nos Estados Unidos, Hungria e Estônia

Eles se dedicaram bastante, estudaram, foram inovadores, programaram e desenvolveram o design de robôs de lego e demonstraram que sabem trabalhar muito bem em conjunto. Os melhores times de robótica do Brasil foram conhecidos nesse domingo (18), em Curitiba. A equipe Thunderbóticos, do Sesi de Rio Claro (SP), ficou em primeiro lugar geral entre as 83 que competiram no Torneio Nacional de Robótica FIRST Lego League, organizado pelo Serviço Social da Indústria (Sesi).

A equipe Jedi’s, do Seso de Jundiaí (SP) conquistou o segundo lugar e, em terceiro, ficou a Big Bang, do Sesi de Birigui (SP).

Com o resultado, as três equipes garantiram vaga em torneios internacionais de robótica. As campeãs poderão escolher entre o World Festival, em Houston (EUA), ou os torneios da Hungria e Estônia.

Outras sete equipes que também tiveram bom desempenho na etapa nacional, ganharam o direito de participar das disputas internacionais representando o Brasil: Red Rabbit (Sesi de Americana/SP), Robotics School (Sesi de Ourinhos/SP), Lego da Justiça Planalto (Sesi Planalto-Goiânia), Fênix (Sesi de Bauru-SP), Gametech Canaã (Sesi Canaã-Goiânia), Biotech (Sesi de Barra Bonita/SP) e Robocamb (Sesi de Maceió/AL).

O diretor de Operações do Sesi Nacional, Paulo Mól, considera que a robótica é fundamental para qualquer estudante, porque estimula a busca de soluções para problemas do nosso dia a dia. “No torneio, eles aplicam os conhecimentos em robótica e ainda têm uma questão muito importante do trabalho em equipe no desenvolvimento dos projetos. A competição é também um estímulo à inovação. Além pesquisar soluções inovadoras, os estudantes já começam a pensar em modelos de negócio e como implementar o projeto que criaram” disse.

O que é o torneio

O Torneio de Robótica FIRST LEGO League é um programa internacional de exploração científica, que promove o ensino de ciência, tecnologia, engenharia, artes e matemática no ambiente escolar e contribui para o desenvolvimento de competências e habilidades comportamentais para a vida. A cada ano o torneio estimula o trabalho colaborativo, a criatividade e traz desafios do mundo real para os alunos.

Criado em 1998 pela FIRST – uma organização não governamental – em parceria com o Grupo LEGO, a competição propõe que estudantes sejam apresentados ao mundo da ciência e da tecnologia de forma divertida, por meio da construção e programação de robôs feitos inteiramente com peças da tecnologia LEGO Mindstorm. No Brasil, desde 2013, o SESI é a instituição responsável pela organização do torneio (etapas regionais e nacional).

As tarefas

Em cada torneio, os estudantes precisam realizar quatro tarefas. Uma delas é o Desafio do Robô, quando os estudantes colocam os robôs de Lego para cumprir determinadas missões. Para realizar as tarefas, o robô pode capturar, transportar, ativar ou entregar objetos na mesa de competição. Tudo de forma lúdica, simulando situações reais.

Na temporada atual, por exemplo, com o tema água, os robôs tiveram de fazer coisas como remover um cano quebrado, virar tampas de bueiro e mover bombas de água. As equipes têm direito a três rounds, de 2 minutos e 30 segundos cada, para execução.

Os robôs, projetados e construídos pelos próprios alunos, também são avaliados na categoria Design do Robô. Os times podem utilizar sensores de movimento, cor, toque, controladores e motores. Os juízes levam tudo isso em consideração, além da estratégia e programação.

Conta pontos ainda o Projeto de Pesquisa com uma solução inovadora sobre o uso da água. Pode ser, por exemplo, na produção de alimentos ou na geração de energia. A solução deve ser compartilhada com os outros competidores e será avaliada pelos juízes. Por fim, na categoria Core Values, os estudantes precisam mostrar que sabem trabalhar em equipe.

A competição é voltada para estudantes de 9 a 16 anos, de escolas públicas ou particulares. Grupos de amigos também montar seus times, são as chamadas equipes de “garagem”. O SESI recomenda o número mínimo de 4 competidores, além de dois treinadores adultos. Primeiro as equipes se inscrevem para a fase regional. Os melhores times desta etapa, garantem vaga na disputa nacional. A próxima temporada será lançada em agosto deste ano.

Robótica em sala de aula

O Sesi adota a robótica educacional em sala de aula desde 2006. Atualmente, todas as 459 escolas do Sesi que atuam com ensino fundamental e médio de todo o país ofertam a robótica. São quase 190 mil alunos.

Você encontra tudo sobre a competição no site do Torneio de Robótica, pelo Facebook, Instragram  ou na Agência CNI de Notícias. Veja todas as fotos noFlickr da CNI.