Presidente da Fiep pede que STF mantenham decisão de prisões após condenação em segunda instância

Para Edson Campagnolo, manutenção de entendimento anterior do próprio tribunal reforçará o comprometimento com as ações contra a corrupção

O presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo, enviou mensagem a todos os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), pedindo critério e sabedoria no julgamento do habeas corpus apresentado pela defesa do ex-presidente Lula para tentar evitar sua prisão após condenação em segunda instância.

Na carta, assinada em nome da indústria paranaense, Campagnolo afirma que o assunto, que está na pauta do STF nesta quinta-feira (22), marcará para sempre a história do país. “A decisão é muito importante e reforçará o comprometimento com as ações contra a corrupção e a ilegalidade que tanto afetam a política institucional brasileira”, diz a mensagem.

Para o presidente da Fiep, o momento crítico atravessado pelo Brasil exige postura firme dos ministros para manter o entendimento do próprio STF, que em 2016 definiu que deve ocorrer prisão após condenação em segunda instância. “Isso só reforçará o comprometimento do Judiciário em atuar de forma extensiva contra os crimes de corrupção que tanto penalizam a nossa sociedade”, afirma.

About Author