Presidente da Fiep propõe trégua de 15 dias a líderes do movimento dos caminhoneiros

Sugestão de Edson Campagnolo foi apresentada durante reunião no fim da tarde deste domingo (27), no Palácio Iguaçu

O presidente da Federação das Indústrias do Paraná  (Fiep), Edson Campagnolo, propôs uma trégua de 15 dias aos líderes do movimento de caminhoneiros que desde segunda-feira (21) impede o transporte de cargas em todo o país. A proposta foi apresentada durante reunião no Palácio Iguaçu, em Curitiba, no fim da tarde deste domingo  (27), que discutiu impactos e possíveis soluções para a greve. O encontro teve participação da governadora Cida Borghetti, representantes do setor produtivo e dos caminhoneiros.

“O caos está instalado no país, se não houver esta trégua, além do desabastecimento generalizado para a população e de prejuízos irreparáveis para a economia, teremos inclusive problemas sanitários que podem ocorrer pela interrupção de determinados processos produtivos”, disse. “Proponho uma trégua de 15 dias aos líderes do movimento e que, nesse ínterim, o abastecimento se normalize, com o movimento monitorando a busca por soluções concretas para suas reivindicações”, acrescentou.

Campagnolo parabenizou a governadora pela rápida instalação de um Comite de Crise, no qual a Fiep representa o setor produtivo, que vem negociando com os manifestantes e já conseguiu a liberação de cargas prioritárias. “O Paraná pode dar mais um belo exemplo de bom senso ao país com uma trégua nas manifestações” concluiu o presidente da Fiep.

About Author