Sistema Fiep lança edital para acelerar startups inovadoras em Smart Cities

Empresas candidatas precisam ter uma solução viável para a temática

Quem é inovador e sonha em colocar suas ideias em prática precisa não só de um espaço, mas de mentoria, apoio e incentivo. O Sistema Fiep, por meio da sua incubadora, abriu um processo seletivo para acelerar cinco novas startups. Para se candidatar é necessário que a empresa tenha foco em Smart Cities, ou seja, buscar soluções de melhorias para cidades com projetos relacionados à mobilidade urbana, iluminação, segurança pública, gestão de resíduos, saneamento, sustentabilidade e saúde e educação de qualidade.

O lançamento da chamada Startups Smart Cities ocorreu na quarta-feira (13), no Campus da Indústria. O evento teve palestras e debates sobre cidades inteligentes. A abertura foi realizada pelo superintendente do Sistema Fiep, José Antonio Fares, que enfatizou as vantagens que a Incubadora Sistema Fiep oferece às startups, como participar de um programa de aceleração profissional que oferece uma rede nacional e internacional de contatos, infraestrutura completa e dinâmica, além de ter acesso a fundos de investimentos, em diferentes estágios. Fares também anunciou o lançamento de novas unidades da incubadora no estado, em Londrina, Maringá, Toledo, Pato Branco, Cascavel, Ponta Grossa, Francisco Beltrão e uma segunda unidade na capital paranaense, no bairro Cidade Industrial de Curitiba (CIC).

Ao falar sobre cidades inteligentes, Josep Maria Buades Juan, da Agência Catalã de Competitividade, citou Barcelona como exemplo. Segundo ele, a cidade está em 6.º lugar no ranking mundial de onde abrir uma empresa, é o 4.º maior destino turístico do mundo e é uma das poucas cidades da Europa com uma rede de transporte internacional completa em sua área metropolitana. “A Catalunha é reconhecida por ser um ambiente de negócios dinâmico e diversificado. Lá, as empresas e indústrias se destacam por sua atividade, inovação e competitividade, o que colabora para que a cidade tenha um crescimento em grande escala”, disse.

O evento, realizado em parceria com o Sindicato das Indústrias de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares do PR (Sinaees) e Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), também teve um momento de debate sobre Smart Cities. Quem esteve no lançamento teve a oportunidade de tirar dúvidas e conversar com especialistas na área. A conversa foi comandada pelo presidente do Sinaees, Alvaro Dias Junior, o gerente da Regional Paraná da Abinee, Jorge Paulo de Aguiar; e Frederico Lacerda, da Agência de Inovação de Curitiba. O bate-papo foi mediado pelo gerente de Gestão, Inovação e Talentos do Sistema FIEP, Filipe Cassapo.

O tema Cidades Inteligentes está relacionado a criatividade e modernidade e as startups fazem parte desse conceito justamente pelo fato de serem empresas que buscam criar produtos ou soluções que visam melhorar a qualidade de vida das pessoas. Por meio de tecnologias disruptivas e modelos de negócios inovadores, as startups conseguem resolver rapidamente problemas complexos da cidade e implementar soluções modernas, gerando valor para a sociedade e contribuindo para a geração de renda e novos empregos, impactando nas indústrias e no setor produtivo.

Lançamento da chamada Startups Smart Cities

O Edital de chamada de startups com o tema Smart Cities tem como objetivo incubar startups fisicamente no Campus da Indústria do Sistema Fiep. Para participar do programa é fundamental que as empresas candidatas sejam compatíveis com a temática Smart Cities, além de terem um Mínimo Produto Viável (MVP), ou seja, um produto que tenha sua funcionalidade mínima implementada. Também é necessário que as empresas tenham as documentações completas e atualizadas.

A primeira fase do processo seletivo é a inscrição, que não tem prazo para encerrar, pois o processo é contínuo, o que significa que a qualquer momento é possível se inscrever e enviar a documentação solicitada no edital. As selecionadas deverão se apresentar para uma banca de avaliação e terão 10 minutos para o pitch (apresentação). Serão analisados quatro critérios: conteúdo inovador, equipe da empresa, potencial de mercado e potencial de interação com a indústria.

As empresas podem ficar incubadas por até dois anos. Durante esse período, o Sistema Fiep ajuda a estruturar planos de ação e de negócios, desenvolvimento de portfólio de produtos e serviços, além de levantar potenciais investidores e clientes para as startups. O objetivo é desenvolver empresas que têm um negócio com perspectiva de mercado e crescimento em escala, com produto, serviço ou processo inovador que gere impacto social ou ambiental.

De acordo com Rafael Trevisan, coordenador de Inovação, Gestão e Talentos do Sistema Fiep, a Incubadora Sistema Fiep oferece muitos benefícios. “As startups incubadas estão inseridas em um ecossistema denso em tecnologia e inovação, além de terem acesso ao mercado, mentorias e conhecimento de ponta”, afirma.

Para saber mais sobre o Startups Smart Cities, acesse:  http://www.senaipr.org.br/para-empresas/incubadora/.