Pessimismo volta a rondar indústria, revela pesquisa da Fiep

Depois de 12 meses na área do otimismo, expectativa do industrial cai, mostra estudo da Fiep

O empresário do setor industrial paranaense está pessimista em relação ao futuro. Depois de 12 meses na área do otimismo, a expectativa em relação ao futuro caiu e o sentimento é de pessimismo em relação aos próximos seis meses. É o que revela a pesquisa Índice de Confiança da Indústria da Transformação do Paraná (ICIT-PR), conduzida pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep).

O ICIT-PR caiu 6,7 pontos no mês de junho em comparação a maio. É a quarta queda consecutiva. O índice que vinha se mantendo nos últimos doze meses acima de 50 pontos, o que revela otimismo, caiu agora para 47,9, o que demonstra o pessimismo do industrial.

“Como as reformas macroeconômicas não foram efetivadas, o empresário voltou a desacreditar no futuro”, disse Roberto Zurcher, economista da Fiep. Segundo ele, o sentimento foi agravado com a recente greve dos caminhoneiros, que provocou impacto negativo em praticamente todos os setores da economia. Além disso, de acordo com o economista da Fiep, a proximidade das eleições e a indefinição em relação ao rumo que o país terá nos próximos anos agrava este quadro de incerteza e insegurança em relação ao futuro.

A queda do indicador representa um retrocesso porque ao longo dos últimos doze meses o índice apontava otimismo. “Havia uma expectativa positiva por conta de toda a movimentação e discussão em torno das reformas, por isso o indicador vinha se mantendo alto”, comenta Zurcher. Mas, a constatação de que a situação no país pouco mudou trouxe de volta o pessimismo. Segundo ele, os números apontam para um segundo semestre muito tenso, com incerteza em relação a novas contratações e a aumentos de compra de insumos e matéria-prima, o que projeta apenas para uma tendência de inércia na produção. “Neste cenário nebuloso indicado pelos industriais e que estamos vivendo o empresário não se sente seguro para investir”, comenta.

A redução do ICIT-PR em junho foi decorrente principalmente da queda de sete pontos no Índice de Condições que atingiu 42,5 pontos e na queda de 6,6 pontos no Índice de Expectativas, que ficou em 50,6 pontos. Estes dois índices (de Condição e de Expectativas compõem o ICIT-PR, que ficou em 47,9 pontos. Em maio, os indicadores conjunturais sobre o nível de produção apresentaram resultados negativos em relação a abril, com queda no ‘Volume de Produção’ que passou de 47,0 para 34,1 pontos; a ‘Utilização de Capacidade Instalada (efetiva/usual)’ que passou de 42,2 para 26,9 pontos e a ‘Utilização de Capacidade Instalada (%)’ caiu nove pontos situando-se em 58 pontos.

Os indicadores da situação atual apresentaram resultados negativos: a ‘Evolução do Número de Empregados’ passou de 52,1 para 46,2 pontos; a evolução de ‘Estoques de produtos finais (planejado/desejado)’, passou de 56,4 para 59,8 pontos, e os ‘Estoques de produtos finais (evolução)’ passaram de 58,1 para 57,8 pontos. Os indicadores de atividade futura apresentaram resultados negativos, a ‘Demanda por produtos’ passou de 56,9 para 50,4; o ‘Número de empregados’, passou de 49,4 para 47,4 pontos; a ‘Compra de matéria-prima’ passou de 56,0 para 49,3 e a ‘Quantidade exportada’, se passou de 52,6 para 50,8 pontos, todas as comparações entre abril e maio.

 Construção Civil – O Índice de Confiança da Indústria de Construção do Paraná (ICIC-PR) caiu quatro pontos neste mês de junho, terceira queda consecutiva. Este índice está na área do otimismo desde junho de 2017, desta vez, situou-se em 50,3 pontos. O ICIC-PR em junho ficou 1,2 pontos acima do de junho de 2017 e 6,7 pontos abaixo do ICIC-PR histórico. A redução verificada neste junho é típica, pois, tradicionalmente, este mês apresenta redução em relação a maio. O decréscimo verificado no ICIC-PR foi decorrente principalmente da queda de -5,0 pontos no Índice de Condições, que atingiu a 47,3 pontos neste junho.

O Índice de Expectativas caiu 3,5 pontos, chegando a 51,7 pontos. Estes dois índices, o de Condições e o de Expectativas, compõem o ICIC-PR que atingiu a 50,3 pontos. O Índice de Confiança da Indústria da Construção – Paraná é composto pelo índice de Condições (peso 1), que atingiu 47,3 pontos em junho (52,3 em maio), e pelo Índice de Expectativas (peso 2), que atingiu 51,7 pontos em junho (55,2 em maio).

 

About Author