Lactec oferece pesquisas de inovação e serviços para a indústria

Instituto desenvolve projetos com o apoio de subvenções de diferentes órgãos, disponíveis para empresas de todos os portes; integrantes do Conselho Temático de Política Industrial da Fiep conheceram estrutura nesta sexta (20)

Vianna, presidente do Lactec (ao centro), mostra um dos dispositivos desenvolvidos nos laboratórios do instituto (Fotos: Gelson Bampi)

Integrantes do Conselho Temático de Política Industrial, Inovação e Design da Fiep conheceram, nesta sexta-feira (20), em Curitiba, a sede dos Institutos Lactec. Um dos principais centros de ciência e tecnologia do país, o Lactec oferece soluções inovadoras para empresas de diversos setores, contando com 30 laboratórios e mais de 130 pesquisadores. Muitos dos projetos são desenvolvidos com o apoio de subvenções de diferentes órgãos, disponíveis para empresas de todos os portes.

A origem do Lactec remonta a 1959, quando Copel e Universidade Federal do Paraná (UFPR) firmaram uma parceria para a construção do Centro de Hidráulica e Hidrologia Professor Parigot de Souza (Cehpar) – até hoje um dos principais laboratórios dessa especialidade no Brasil. A partir dos anos 1980, o Lactec começou a expandir sua atuação, com a criação de novas unidades. “Apesar de surgido em um ambiente público, desde 1997 o Lactec é uma instituição privada, que se sustenta com as receitas obtidas pelos projetos e serviços que presta às empresas”, explicou o presidente do Lactec, Luiz Fernando Vianna.

Atualmente, o instituto tem 550 funcionários, sendo mais de 130 pesquisadores, a maioria mestre ou doutores. Além do Cehpar e de sua sede, instalada no Campus da Indústria do Sistema Fiep, o instituto conta com outras três unidades: o Laboratório Central (LAC), que abriga o departamento de eletricidade e materiais, e os laboratórios de Mecânica e Emissões Veiculares (Leme) e de Materiais e Estruturas (Lame). Também está sendo implantada uma unidade em Salvador (BA), para atender projetos da região.

“Nossos laboratórios, além de prestarem diversos serviços para as empresas, também são utilizados para pesquisas inovadoras. Já realizamos mais de 300 projetos de pesquisa e desenvolvimento e temos mais de 50 processos de patentes em andamento”, ressaltou Vianna. Segundo ele, boa parte dos projetos é financiada por programas de subvenção à inovação, disponibilizados por entidades como a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Há quatro anos, o Lactec foi credenciado também pela Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) para executar projetos no setor industrial, com aporte financeiro que chega a até 1/3 do valor total de cada proposta.

Lactec conta com 30 laboratórios, como o de Eletrônica, visitado pelos integrantes do Conselho

Serviços
Com uma ampla gama de serviços, os Institutos Lactec atendem seis setores principais: mecânica, petróleo e gás, eletrônica e TI, construção civil, energia elétrica e meio ambiente. Seus serviços estão divididos em quatro áreas. Uma das principais é justamente a realização de pesquisas, com projetos de desenvolvimento de dispositivos experimentais e protótipos. Também oferece serviços técnicos especializados e consultorias, como controle tecnológico de obras, estudos ambientais, ensaios especiais em campo, mapeamentos e estudos em modelos físicos e computacionais.

Em outra linha de atuação, seus laboratórios realizam ensaios, testes e análises, além de suporte para serviços, projetos e consultorias. Por fim, o Lactec oferece também capacitação profissional, tanto por meio de cursos técnicos de curta duração quanto pelo mestrado profissional em desenvolvimento e tecnologia.

Visita
Durante a visita desta sexta, os integrantes do Conselho conheceram alguns dos laboratórios instalados na sede do Lactec, no Campus da Indústria. Entre eles, o de Usabilidade de Sistemas e Experiência do Usuário. Com possibilidade de ser adaptado para diferentes situações, ele permite testes e avaliações sobre a forma com que os usuários interagem com produtos, aplicativos e softwares, propondo às empresas contratantes melhorias que possam facilitar o uso por seus clientes.

Também foi visitado o laboratório de Eletrônica, que além de consultorias e ensaios, desenvolve pesquisas de novos produtos. Nele foi concebido, por exemplo, um modelo de tornozeleira eletrônica utilizada pela Justiça em pessoas que respondem por medidas cautelares alternativas à prisão. Também são pesquisados novos equipamentos destinados ao monitoramento e manutenção de redes de energia elétrica, entre outros dispositivos.

Carlos Walter: inovação tecnológica é caminho para competitividade

O coordenador do Conselho Temático de Política Industrial, Inovação e Design da Fiep, Carlos Walter Martins Pedro, destacou que a visita foi fundamental para conhecer as possibilidades que o Lactec oferece ao setor industrial paranaense. “Nós, industriais, precisamos da inovação tecnológica para ganhar competitividade. Existem muitos recursos técnicos, conhecimento e subsídios disponíveis para isso, mas é preciso fazer com que essa informação chegue aos empresários para que mais indústrias façam uso dos serviços”, declarou.

Ele ressaltou ainda que a atuação do Lactec se soma à de outros centros de pesquisa, como os Institutos Senai de Inovação (ISI) – que tem uma de suas unidades no Paraná, voltada para a área de eletroquímica, também instalada no Campus da Indústria. “Precisamos de ações complementares na área de inovação, não paralelas, e é isso que ISI e Lactec estão fazendo”, disse.

A opinião foi compartilhada por Vianna. “Sou adepto do trabalho em rede, por isso não vejo os outros institutos de pesquisa como concorrentes, mas como parceiros”, disse o presidente do Lactec. “Precisamos fortalecer nosso ecossistema de inovação. É por meio dele que vamos fazer com que nossa indústria tenha capacidade de competição em nível mundial”, completou.

About Author