Sistema Fiep lança Aceleradora de startups em Pato Branco

Estrutura, que será replicada em outras cidades do interior do Paraná, vai atuar no desenvolvimento de empreendimentos inovadores de alto impacto

Gonçalves, Fares e Petrycoski no espaço que abriga a Aceleradora em Pato Branco (Fotos: Gelson Bampi)

O Sistema Fiep lançou, na noite desta quinta-feira (9), a Aceleradora de Pato Branco, que vai atuar no desenvolvimento de empreendimentos inovadores de alto impacto, que tenham perspectiva de mercado e crescimento em escala. Esta é a primeira Aceleradora da entidade no interior do Paraná e está instalada nas dependências da Casa da Indústria do município. Durante o evento, foi lançado também o edital para seleção de até cinco startups da região que serão abrigadas no novo espaço e receberão total apoio para aprimorar seus negócios.

Confira mais fotos do evento

Para o presidente do Sistema Fiep, Cláudio Petrycoski, a Aceleradora vai contribuir para que o ecossistema de inovação de Pato Branco e da região Sudoeste se desenvolva ainda mais. “Não tínhamos uma aceleradora aqui. O Sistema Fiep já tem experiência com a estrutura montada em Curitiba e esse trabalho vai ser muito bom para Pato Branco, que já possui todo um histórico na área da inovação”, disse.

Petrycoski também destacou a importância dos parceiros que estão envolvidos na instalação da Aceleradora no município. “Cada vez mais as pessoas estão se integrando e podemos ver isso aqui pelo grande número de parceiros nessa iniciativa”, afirmou. Entre as entidades que atuarão ao lado do Sistema Fiep na aceleração de startups em Pato Branco estão o Sebrae/PR, o Sudovalley, o Sindimetal Sudoeste, o Instituto Regional de Desenvolvimento Econômico e Social do Sudoeste (Irdes), a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e a prefeitura municipal.

O superintendente do Sesi e IEL e diretor regional do Senai no Paraná, José Antonio Fares, também destacou a relevância dessas parcerias, que fazem com que Pato Branco tenha um dos ecossistemas de inovação mais bem estruturados do Paraná. “Aqui em Pato Branco vemos a história de como essa cidade se tornou um centro de eletroeletrônica, como recebeu as universidades federais, como desenvolveu o polo de tecnologia. São muitos parceiros nessa aceleradora, muitas entidades interessadas. Isso faz o futuro, faz com que a cidade construa um modelo para as próximas gerações”, declarou. Fares explicou ainda que o modelo de Aceleradora lançado em Pato Branco será replicado em outras cidades do interior do Paraná.

Já o gerente da regional Sul do Sebrae/PR, Cesar Colini Gonçalves, que falou em nome das entidades parceiras, disse que a Aceleradora preenche uma lacuna no ecossistema de inovação de Pato Branco, atuando para aprimorar projetos promissores. Para ele, isso se reverterá em mais desenvolvimento para a região. “O ecossistema de inovação do Sudoeste tem mostrado sua força. Isso tem trazido uma relevância no processo de desenvolvimento, porque o Sudoeste tem mostrado que a inovação é um elemento de transformação. Essa inauguração mostra como a cidade de Pato Branco é intensiva no processo de inovação”, declarou.

O presidente do Sistema Fiep destacou a importância dos parceiros da Aceleradora

Como funciona

Em Curitiba, a Aceleradora Sistema Fiep existe há sete anos, já graduou 14 startups e atualmente acelera 11. Com a inauguração em Pato Branco, os empreendedores da região terão a oportunidade de receber mentoria, estabelecer uma boa relação com a indústria e colocar o seu produto no mercado de forma assertiva. Entre este ano e o primeiro semestre do ano que vem também está previsto o lançamento de outras sete aceleradoras pelo Paraná, em Londrina, Maringá, Toledo, Cascavel, Ponta Grossa, Francisco Beltrão e uma segunda unidade na capital paranaense, no bairro Cidade Industrial de Curitiba (CIC).

Para participar do programa da Aceleradora, as empresas precisam ter um Mínimo Produto Viável (MVP), ou seja, um produto que tenha sua funcionalidade mínima implementada. Também é necessário que tenham as documentações completas e atualizadas. As startups podem ficar incubadas por até dois anos. Durante esse período, o Sistema Fiep ajuda a estruturar planos de ação e de negócios, desenvolvimento de portfólio de produtos e serviços, além de levantar potenciais investidores e clientes. O objetivo é desenvolver empresas que têm um negócio com perspectiva de mercado e crescimento em escala, com produto, serviço ou processo inovador que gere impacto social ou ambiental.

O edital para preenchimento das cinco vagas disponibilizadas inicialmente na Aceleradora de Pato Branco foi lançado também nesta quinta. Empresas interessadas em participar do programa devem realizar uma pré-inscrição pelo site sistemafiep.org.br/aceleradora.

About Author