Pró-Vida entrega chaves do Centro de Educação Profissional Dr. Celso Charuri ao Sistema Fiep

Nova unidade, construída com recursos de doações, está situada no bairro São Francisco, em Curitiba, e ofertará cursos do Senai com foco na Indústria 4.0

O presidente e diretores do Sistema Fiep com representantes da Pró-Vida (Foto: Gelson Bampi)

Foi realizada neste sábado (1º), em Curitiba, a cerimônia de entrega das chaves e de doação de um prédio da Pró-Vida ao Sistema Fiep. No edifício, que fica na Rua Paula Gomes, no bairro São Francisco, funcionará uma nova unidade do Sistema Fiep, batizada como Centro de Educação Profissional Dr. Celso Charuri, em homenagem ao fundador da Pró-Vida.

Confira mais fotos da cerimônia

Para construir e equipar o novo espaço, foram investidos aproximadamente R$ 20 milhões, provenientes da Central Geral do Dízimo, departamento da Pró-Vida que recebe doações anônimas e financia projetos sociais. A estrutura, que fica em um terreno pertencente ao Sistema Fiep, possui área total de 6.963 m², com 13 salas de aula e 10 laboratórios para oferta de cursos profissionalizantes do Senai, podendo atender até 1,7 mil alunos por dia.

O presidente do Sistema Fiep, Edson Campagnolo, agradeceu à Pró-Vida pela parceria. “Estamos sendo reconhecidos para continuar fazendo nosso trabalho. Recebo estas chaves e compartilho com os alunos do Senai e com quem acredita no Brasil. Obrigado Pró-Vida, vocês estão nos ajudando a melhorar a vida das pessoas”, disse. Já o diretor geral da Pró-Vida, Nelson Machado Costa, explicou os motivos que levaram a instituição a investir no centro educacional. “Nós consideramos, na Pró-Vida, que o caminho para se conseguir uma sociedade mais justa é criar oportunidades para que todos recebam uma educação que os habilite a se sentirem úteis e participantes da sociedade”, declarou.

O Centro de Educação Profissional Dr. Celso Charuri ofertará cursos e serviços do Senai em áreas como audiovisual, automação e mecatrônica, tecnologia da informação, eletroeletrônica. As formações estarão alinhadas principalmente com as demandas do conceito de Indústria 4.0. Para isso, abordará tecnologias como realidade aumentada, internet das coisas, robôs autônomos, segurança digital e big data. A unidade terá ainda um espaço maker e de coworking, além de uma incubadora e aceleradora de startups, que oportunizarão a formatação de ideias propostas pelos alunos em soluções efetivas e aplicáveis.

About Author