Exportações do Paraná se mantêm em alta em agosto

No acumulado dos oito primeiros meses de 2018, o saldo é negativo em função de ano atípico que afetou o setor industrial

Em agosto, os produtos industrializados do Paraná atingiram US$ 1,7 bilhão em exportações. Já o valor das importações, foi de US$ 1,4 bilhão. Com isso, o saldo da balança comercial no mês foi de US$ 369 milhões. Na variação mensal, comparação com julho, as vendas externas cresceram 5%. Já em relação a agosto de 2017, a alta foi de 4%. Também houve aumento das importações em agosto. Cerca de 50% em relação ao mês anterior, e 30% na comparação com agosto do ano passado.

Porto de Paranaguá. Crédito da foto: Gilson Abreu

No acumulado do ano, de janeiro a agosto, as exportações paranaenses apresentam leve queda de 0,4% em relação ao mesmo período de 2017. As importações cresceram 7% no mesmo período. Assim, o saldo até agosto é de US$ 4,3 bilhões.

Dos 15 grupos de produtos exportados avaliados, 10 registram alta em agosto. Os principais itens vendidos foram soja, carnes e material de transportes. Juntos, somaram mais de US$ 1 bilhão. Destaque também para o segmento de cereais, que teve a maior taxa de crescimento no mês, 70 vezes maior que a de julho. Produtos têxteis subiram 57%, materiais de transporte, 53%, e madeira, 48%.

 “O crescimento das vendas externas de produtos têxteis ocorreu em função do aumento das vendas para o mercado francês. Em agosto, foram vendidos US$ 1,2 milhão, crescimento de mais de 100% em comparação com agosto de 2017. Seda foi o principal produto vendido no mercado francês, representando 98% do valor comercializado”, justifica o economista da Fiep, Evânio Felippe.

Os setores com as menores taxas de crescimento nas exportações em agosto, na comparação com julho, foram açúcares e itens de confeitaria (-25%), produtos metalmecânicos (-20%) e papel e celulose (-11%). O primeiro também registra queda de 66% contra agosto de 2017, assim como papel e celulose, com -17%. Já os produtos da indústria metalmecânica estão em alta em relação ao mesmo mês do ano anterior, 15% maiores.

 No acumulado de janeiro a agosto, os produtos com maior taxa de crescimento nas exportações foram petróleo e derivados (450%) e bebidas (74%). Já em valores, o campeão é soja (US$ 5 bilhões) e 14% de elevação em relação ao mesmo período de 2017; seguido por carnes (US$ 1,7 bilhão) e material de transportes (US$ 1,3 bilhão).

As exportações de soja tiveram queda de 11% em agosto. Mas em relação ao mesmo mês do ano passado, cresceram 41%. “A explicação é o aumento de 29% na quantidade de produto vendido, e também, a variação cambial. Em agosto de 2017, a cotação do dólar estava em torno de R$ 3,15. Este ano, está em R$ 3,93, favorecendo o aumento das exportações”, acrescenta Felippe.

Importações

Os principais produtos comprados no mês foram químicos, material de transportes e petróleo, que somaram US$ 920 milhões. Dos 15 grupos pesquisados, oito tiveram taxas de crescimento positivas, como petróleo (260%), cereais (133%) e produtos químicos (83%). No ano, o valor das importações cresceu 6,7%. Os produtos com maior taxa de crescimento até agosto foram açúcares e produtos de confeitaria (52%) e papel e celulose (26%).

Mercados

Se consideradas exportações e importações do Paraná em agosto, os principais parceiros comerciais foram China, crescimento de 55% em relação a agosto de 2017; Argentina, alta de 10% no mesmo período, Estados Unidos e Alemanha.

No ano, as exportações para os cinco principais mercados (China, Argentina, Estados Unidos, Holanda e Paraguai) cresceram 9% em relação ao mesmo período do ano passado. A China é o principal cliente, com total de US$ 4 bilhões em vendas de produtos paranaenses, com crescimento de 15%.

Com relação às importações, os principais parceiros foram China, Estados Unidos, Argentina. A China é o principal parceiro de origem das compras do Paraná e já há registro de 18% de crescimento, com movimentação de US$ 1,5 bilhão até agosto deste ano.

About Author