Campagnolo participa da cerimônia de troca de comando da 5ª Divisão do Exército

Presidente do Sistema Fiep destacou as parcerias entre a entidade e a corporação, especialmente por meio do Comitê da Indústria da Defesa

O presidente do Sistema Fiep, Edson Campagnolo, ao lado do comandante do Exército, general Villas Bôas (Fotos: Gelson Bampi)

O presidente do Sistema Fiep, Edson Campagnolo, participou nesta terça-feira (13), em Curitiba, da cerimônia de passagem de comando da 5ª Divisão de Exército, que abrange os estados do Paraná e Santa Catarina. O general de divisão Tomás Miguel Miné Ribeiro Paiva assumiu como comandante, em substituição ao general de brigada Ricardo Miranda Aversa. Entre outras autoridades, a solenidade contou com a presença do comandante geral da corporação, general de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, e do juiz federal Sergio Moro, escolhido para ocupar o Ministério da Justiça a partir de janeiro.

Confira mais fotos da solenidade

Campagnolo destacou que o Sistema Fiep mantém parcerias com o Exército há vários anos, inclusive para a capacitação profissional de soldados da corporação, feita por meio do Senai. Além disso, a entidade foi uma das primeiras do país a implantar um Comitê da Indústria da Defesa e Segurança (Comdefesa), que tem o objetivo de apresentar às empresas oportunidades de fornecimento de suprimentos e equipamentos para as Forças Armadas.

“]
General Tomás observa o desfile das tropas que vai comandar

Para o presidente do Sistema Fiep, o momento é propício para reforçar a atuação do Comdefesa. “O presidente eleito Jair Bolsonaro deixou muito claro que vai investir fortemente não só no Exército, mas em todas as Forças Armadas. Então, o Comdefesa, que já conta com algumas empresas dessa cadeia de fornecedores, vai aproveitar esse novo momento e retomar com mais intensidade”, afirmou, acrescentando que essa atuação será integrada com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), que também está instalando um comitê similar para atuar em âmbito federal. “Pretendemos, junto com as forças de segurança, criar uma integração com a indústria, percebendo quais são as demandas e dando uma resposta positiva. Estamos falando em uma retomada da economia e dos empregos, e existe interesse das Forças Armadas em também participar desse movimento”, completou.
momento atual vivido pelo país. “Nesta cerimônia se percebe algo especial em decorrência do momento vivido pelo país. Independentemente de corrente ideológica ou partidária, vemos o despertar de uma energia e o brotar de algo que estava latente, que é o patriotismo e o amor ao nosso país”, declarou o comandante geral do Exército. Já em entrevista após o evento, ele afirmou que, apesar de vários militares estarem sendo chamados a integrar o futuro governo federal, isso não significa que o Exército, como instituição, terá interferência no Executivo. Segundo ele, a corporação seguirá cumprindo seu papel institucional, de maneira apolítica e apartidária.

Campagnolo com o general Tomás, que assumiu o comando da 5ª DE

Já o general Tomás Miguel Miné Ribeiro Paiva, que assumiu o comando da 5ª Divisão de Exército, disse estar honrado com a função e falou sobre alguns desafios que terá pela frente. “A expectativa é muito boa, só quero continuar realizando o trabalho que tem sido feito aqui. O principal desafio é manter o preparo da nossa tropa, que é uma tropa pesada, e uma preocupação muito grande também com a faixa de fronteira, que é uma das nossas missões”, disse. Antes de chegar a Curitiba, o general ocupava, desde 2015, o cargo de chefe de gabinete do comandante do Exército. Ele está na corporação desde 1975.

About Author