Conselho Superior do CPCE apresenta resultados de 2018

Evento ocorreu no Campus da Indústria e reuniu mais de 90 empresários, lideranças sindicais, acadêmicas e das organizações da sociedade civil

O Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial (CPCE) – Conselho Temático da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), reuniu mais de 90 empresários e lideranças sociais para apresentar os resultados e ações de 2018, na XXII Reunião do Conselho Superior de Cidadania Empresarial, que ocorreu na quinta-feira (22).

O encontro contou com a participação do presidente do Sistema Fiep, Edson Campagnolo, do superintendente do Sesi e do IEL no Paraná e diretor regional do Senai, José Antonio Fares, do diretor-geral do CPCE, Rui Brand, e diretores regionais do conselho: Indianara M Milléo (Campos Gerais), Paulo P. Lima (Maringá), Gilberto Bordin (Cascavel) e Renata Amano (Londrina).

O diretor-geral, Rui Brandt, lembrou que o conselho tem o papel de catalisar e aglutinar a cidadania empresarial em busca por uma sociedade mais justa e mais igualitária. “Pessoalmente me sinto gratificado em estar com vocês nesta busca por uma sociedade melhor. Com o empenho e dedicação de todos, conseguimos fazer mais, superamos o que foi planejado. O Prêmio Sesi ODS é um marco. É o reconhecimento de iniciativas que deram resultados para a construção de uma sociedade melhor e inclusiva”, afirmou.

Rosane Fontoura, coordenadora executiva do CPCE, apresentou dados de 2018 de mais de 270 organizações no estado do Paraná. Ao todo foram realizados 50 encontros que atingiram 2.700 líderes de vários setores. Destaque para a realização do 1° Circuito de Projetos Incentivados, no qual em um dia foi realizada visita técnica a três organizações de referência que demonstraram como aplicaram recursos do PRONAS, PRONON e Fundo do Idoso, além de cases da Lei do Incentivo ao Esporte, Lei Rouanet e FIA, e a 11ª edição do Reatiba. Também foram realizadas visitas técnicas nas indústrias Coca Cola FEMSA, Grupo Águia, Klabin S.A, Companhia Siderúrgica Nacional – CSN, Grupo Boticário, case da empresa Barion foi apresentado em reuniões e o tema Economia Circular foi tratado pelo especialista João Redondo da FIESP.

Ainda na ocasião, foi apresentada a empresária Renata Amano, da Abratac, que assumiu neste ano a Regional de Londrina. Renata é diretora do Conselho de Administração da Fiação de Seda Bratac S.A, presidente da Associação Brasileira da Seda e diretora do Sindtêxtil de Londrina. Para a nova diretora regional, o CPCE deve cada vez mais ser levado para as indústrias para mobilizar e integrar a todos de forma que os projetos promovam o enriquecimento da sociedade. “A sustentabilidade é mais que doação, ela é maior que o assistencialismo e mais completa que a empatia. É a geração de renda e o empoderamento com propósito comum sobre todas as perspectivas”, analisa Renata.

A reunião contou ainda com a participação especial do economista e professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Ladislau Dowbor. Com formação em economia política pela Universidade de Lousanne (Suiça) e doutorado em ciências econômicas na Escola Central de Planejamento e Estatística de Varsóvia (Polônia), Dowbor é autor de vários livros e falou sobre os cenários e tendências para a Sustentabilidade.

Para o economista, estamos vivendo em uma época com imensa dificuldade de pensar no longo prazo e de maneira sistêmica. “Pensamos no curto prazo, somos egoístas e isto está nos levando a uma catástrofe. Sabemos as consequências do uso irracional e indiscriminado dos recursos do nosso planeta, temos conhecimento e meios para as soluções e simplesmente não as realizamos por falta de articulação dos atores sociais, econômicos e políticos. Precisamos refletir”, sentenciou Dowbor. Durante a palestra, o economista convidou a todos os presentes a lerem o seu mais novo livro, Era do Capital Improdutivo, disponível em seu blog http://dowbor.org/.

Ao final da reunião, algumas organizações receberam o Selo SESI ODS 2018.

Confira a galeria de imagens aqui.