Sistema Fiep escolhe as três melhores startups do Paraná em 2018

Superando mais de 60 inscritos e 20 startups selecionadas, as empresas Monest, 33 Robotics e Exy Innovation foram as vencedoras do Desafio Paraná de Startups

Exoesqueletos para a indústria, robôs para distribuição de medicamentos em ambientes hospitalares e uma plataforma para recuperação de recebimentos atrasados. Essas são as três soluções inovadoras premiadas no Desafio Paraná de Startups 2018, evento promovido pelo Sistema Fiep com o objetivo de reconhecer e premiar as melhores startups do estado.

Superando mais de 60 inscritos e 20 startups selecionadas, as empresas Monest, 33 Robotics e Exy Innovation foram as vencedoras do desafio, realizado na última quinta-feira, 6, no Campus da Indústria em Curitiba.

O Desafio de Startups contou com a participação ativa de mais de 100 pessoas que acompanharam o evento presencialmente. De forma interativa, o público ajudou a decidir a vencedora de cada disputa de pitch, até chegar às startups finalistas.

Os três ganhadores receberam como prêmio a oportunidade de participar da Open Innovation Week (OiWeek) 2019, que ocorrerá em São Paulo, com passagem e hospedagem pagas para um representante de cada startup. Elas foram contempladas, ainda, com R$ 5 mil em serviços de marketing digital da Amura Comunicação e R$ 4,5 mil em serviços de desenvolvimento pessoal e profissional oferecidos pela Integralidade Desenvolvimento Humano e Corporativo. A empresa Monest, primeira colocada no Desafio, além de ter o reconhecimento como melhor startup do Paraná, também recebeu um troféu e foi premiada pela Enaex Britanite e pelo BRDE, com o valor de R$ 4,5 mil em dinheiro.

A Monest apresentou uma plataforma digital personalizada para recuperação de recebimentos atrasados, oferecendo facilidades na negociação tanto para o devedor como para o credor. O CEO da empresa, Thiago M. Oliveira, conta que as muitas horas trabalhadas para o desenvolvimento do produto e de preparativos para uma boa performance no pitch foram recompensadas: “O prêmio é uma validação de mercado, indicando que o caminho que a gente está seguindo é o correto”. A empresa inicia 2019 com uma carteira de R$ 35 milhões para negociação e previsão de chegar a R$ 200 milhões ao final do ano.

A 33Robotics apresentou o Pharmy, robô autônomo para distribuição hospitalar de medicamentos. O formato do desafio em forma de disputa de pitchs foi muito estimulante na opinião de Leonardo Alvarez, CEO da segunda empresa mais votada no evento. ”No ecossistema curitibano de startups a gente se conhece e participar deste evento foi uma experiência fantástica porque pudemos encontrar muitas startups conhecidas. Mesmo estando em um desafio, a gente torce pelo sucesso dos outros participantes”, afirma.

A terceira melhor startup do Paraná em 2018 é a Exy Innovation, incubada na Aceleradora do Sistema Fiep desde junho deste ano. A empresa desenvolve exoesqueletos e exovestíveis industriais. “Os nossos produtos são a alternativa para a recuperação, proteção e a potencialização humana. Já se discute normas internacionais para os equipamentos e o interesse é cada vez maior, com diversas empresas focadas em soluções para os setores da saúde, indústria e militar. Em nossa pesquisa encontramos mais de 40 empresas que atuam em diferentes segmentos e países, porém nenhuma nacional com um produto reconhecido pelo mercado”, relata Alfredo Marczynski, diretor de operações da empresa.

Conectando

Para o coordenador de Inovação e Talentos do Sistema Fiep, Rafael Trevisan, o evento cumpriu o seu papel de conectar, atrair, dar visibilidade e oportunizar novos negócios e parcerias entre startups, mentores, investidores e indústrias. “Curitiba é referência, como cidade inteligente e com iniciativas que fomentam o ecossistema de inovação. Nesse sentido, o evento promovido pelo Sistema Fiep estimula o empreendedorismo inovador e promove a conexão com indústrias, para potencializar cada vez mais o desenvolvimento de novas empresas inovadoras no Paraná, gerando emprego e renda”, analisa.

Durante o evento, os participantes receberam dicas e orientações importantes da presidente da Curitiba Angels, Márcia Cavalcante. A entidade é formada por um grupo de investidores que apostam em novos empreendedores e startups. Em quatro anos de existência, os mais de 50 investidores que compõem o grupo já analisaram mais de 300 projetos. Atualmente em seu portfólio há oito empresas capitalizadas, sendo a mais conhecida, unicórnio curitibana, a Contabilizei. “Desde nossa primeira valuation, nossa carteira vale quatorze vezes mais. Sem dúvida está sendo um bom negócio. Queremos investir em empreendedores e em negócios de impacto. Todos precisam ter em mente que a inovação não é apenas tecnologia e sim o potencial de romper modelos tradicionais. Nós, investidores, estamos focados em avaliar três principais pontos condutores: time, tecnologia e se o produto está no ponto de tração. Com esses três itens bem balizados, o empreendedor pode procurar um investidor”, frisa Márcia.