Fim do ano sinaliza retorno da confiança do industrial paranaense

Índice mensal medido pela Fiep aponta crescimento de 13,7 pontos em relação a outubro e de 8,3 em relação a novembro do ano passado

Mais positivo que o esperado. Este é o resultado da pesquisa mensal realizada pela Fiep e que avalia o grau de confiança do industrial paranaense. Em novembro, após as decisões no cenário eleitoral, o crescimento foi 13,7 pontos maior em relação ao mês anterior e 8,3 pontos acima de novembro de 2017. Um incremento considerável que coloca o indicador bem posicionado na área de otimismo, com 65,6 pontos, numa escala até 100.

Índice mensal medido pela Fiep aponta crescimento em relação a outubro e a novembro do ano passado.
Crédito da Foto: Gelson Bampi

O índice de confiança do empresário da indústria de transformação é formado pelo indicador de condições, que avalia as condições da economia e da empresa nos últimos seis meses, e o de expectativas, que faz a mesma avaliação, porém, projetando os próximos seis meses.

O principal destaque que contribuiu para este pico de crescimento em novembro foi o avanço considerável do índice de condições, que teve 15,3 pontos de aumento em relação a outubro e 4,4 em relação ao mesmo mês de 2017, chegando a 65,6 pontos. Por outro lado, também houve elevação do índice de expectativas, que somou 68,3 pontos, 12,4 acima do valor do mês passado e 9,8 pontos superior a novembro de 2017.

Na avaliação do economista da Fiep, Evânio Felippe, alguns fatores podem ter influenciado o estudo deste mês. “O resultado das eleições e a expectativa de que as reformas, fiscal e da previdência, tão esperadas pelo setor produtivo para que o país volte a crescer, podem ter gerado esta confiança maior do empresário paranaense”, analisa. Outra questão é o compromisso da nova gestão em fazer um ajuste robusto para equilibrar as contas públicas. “Com mais estabilidade, o empresário sente-se mais seguro para investir, aumentar a produção e as vendas”, completa.

Construção Civil

O indicador de confiança no setor da construção civil supera o da indústria de transformação. Em novembro, ficou em 66,6 pontos. Cresceu 13 pontos em relação a outubro e 8,5 quando comparado com o mesmo mês de 2017. O que chama a atenção é o aumento de 14,8 pontos no indicador de expectativas, que chegou a 71,7 pontos. O de condições também deixou a área de pessimismo, com 56,4 pontos, elevação de 9,4 pontos em relação a outubro.

O setor já vem numa onda de recuperação do otimismo, como confirmam os últimos indicadores conjunturais, divulgados pela Fiep em outubro. “Há a previsão de um dinamismo maior no nível de atividade nos próximos seis meses, de compra de matérias-primas e insumos, e também, para o lançamento de empreendimentos e serviços. Outro fato é a disposição do novo governo em acelerar privatizações e aumentar os investimentos em infraestrutura. Isso pode ter elevado a expectativa do empresário”, conclui.

About Author