Ensino superior aumenta empregabilidade e está cada vez mais acessível

Diploma de graduação faz diferença para quem quer preservar o emprego e a renda

A formação superior tem sido a chave para muitos profissionais ingressarem ou permanecerem no mercado de trabalho. De acordo com o Ipea, a população ocupada mais escolarizada – com nível superior – continua aumentando, enquanto todas as demais faixas de escolaridade sofreram perdas significativas nos últimos anos. De 2012 a 2018, a força de trabalho composta por trabalhadores sem nenhuma instrução recuou 47%, enquanto o número de trabalhadores com ensino superior completo avançou 48,2%, passando de 13,1 para 19,4 milhões, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), coletada e divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A educação superior tem papel fundamental na carreira de diversos egressos do Sistema Fiep, com destaque para a alta taxa de empregabilidade e satisfação profissional. É o que aponta uma pesquisa encomendada pela instituição à FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) e executada pela Paraná Pesquisas. Os dados mostram que 62% dos alunos formados pelo Sistema Fiep conseguem um emprego em até 6 meses. Além disso, os egressos de graduação têm 43% de chances de promoção e uma faixa salarial que vai de R$2 a R$5 mil. Esses números explicam porque 56% disseram estar muito satisfeitos com sua atual situação profissional.

“A graduação é um alicerce que garante o bom exercício da profissão escolhida”, analisa Carlos Eduardo Leite, Gerente de Ensino Superior do Sistema Fiep. “Nosso grande diferencial é que possibilitamos aos nossos alunos vivência diária com os desafios das indústrias e do mercado, networking e a possibilidade de colocação no mercado por meio dos estágios e divulgação de vagas”, explica.

 Inscrições abertas para o vestibular de inverno

As Faculdades da Indústria estão com inscrições abertas em 26 cursos de graduação presenciais oferecidos nas unidades Campus da Indústria e CIC, em Curitiba, São José dos Pinhais e Londrina. Os candidatos inscritos na prova do vestibular tradicional, que será aplicada nos dias 8 de junho e 20 de julho, concorrerão a uma bolsa de estudos integral. Os estudantes também podem se inscrever até o dia 23 de agosto para as provas agendadas. As inscrições podem ser feitas pelo site www.faculdadesdaindustria.com.br/vestibular.

Cursos inovadores com valor acessível

As Faculdades da Indústria lançaram 6 novos cursos superiores de tecnologia na unidade CIC, em Curitiba, com mensalidades a partir de R$299,00. Os cursos têm duração de 3 anos e formam tecnólogos em Biotecnologia, Eletrotécnica Industrial, Gestão da Produção Industrial, Meio Ambiente e Energias Renováveis, Processos Químicos e Sistemas Embarcados.

Conquiste uma bolsa integral

O candidato que realizar o vestibular tradicional, com as provas presenciais previstas para os dias 8 de junho e 20 de julho, estará automaticamente concorrendo a uma bolsa integral no curso para o qual se inscreveu. Será contemplado com a bolsa o primeiro colocado na classificação geral do vestibular. Em caso de empate, será avaliado o concorrente com maior nota em redação, português e matemática, respectivamente.

Serviço:

Inscrições vestibular tradicional (prova 1): até 07/06

Data prova 1: 08/06

Inscrições vestibular tradicional (prova 2): até 19/07

Data prova 2: 20/07

Provas agendadas: até 23/08

Início das aulas: 29/07/2019

Cursos oferecidos:

Campus da Indústria

Administração

Ciências Humanas

Ciências Naturais

Design de Moda

Engenharia de Energias

Linguagens e Códigos

Matemática

Curitiba – CIC

Automação Industrial

Biotecnologia

Eletrotécnica Industrial

Fabricação Mecânica

Gestão da Produção Industrial

Meio Ambiente e Energias Renováveis

Processos Químicos

Sistemas Embarcados

São José dos Pinhais

Administração

Ciências Contábeis

Direito

Engenharia de Produção

Gestão da Produção Industrial

Gestão de Recursos Humanos

Logística

Pedagogia

Processos Gerenciais

Sistemas de Informação

Londrina

Automação Industrial

Engenharia de Software

Engenharia Elétrica

Fabricação Mecânica,

Manutenção Industrial

About Author