Estudantes do Colégio Sesi destacam-se com pesquisa e inovação no ensino médio

Alunas e Professor do Colégio Sesi de Ponta Grossa

Um substituto para o isopor desenvolvido com sabugo de milho; um aparelho que diminui o gasto de água de máquinas de lavar em 25% e um aplicativo que estimula a prática de esportes. Esses e outros projetos inovadores foram desenvolvidos por alunos do Colégio Sesi no Paraná. “No Sesi, procuramos desenvolver estudantes para que sejam autônomos, colaborativos, pesquisadores, inovadores, críticos e pró-ativos. Assim, estarão preparados para atuar nas diferentes esferas sociais e na indústria 4.0”, analisa Fabiane Franciscone, gerente de educação básica e continuada do Sistema Fiep.

As alunas da unidade Sesi Campo Largo, Amanda de Souza Maloste e Jessica Cristina Burda, que desenvolveram o trabalho “Samis: uso do sabugo de milho para substituição do poliestireno – fase II”, estiveram em Phoenix, Arizona (EUA), para apresentar seu projeto no evento Intel ISEF (International Science and Engineering Fair). “Nossa ideia surgiu em uma Olimpíada de Ciências. Fomos incentivadas a criar uma tecnologia utilizando o alimento mais produzido na nossa região”, conta Jessica. “Seguimos com a iniciação científica dentro do colégio. No Sesi, produzir ciência e inovação é sempre incentivado, além de nos apoiarem na participação em feiras nacionais e internacionais”, completa Amanda.

Enquanto isso, no Sesi de Ponta Grossa, as estudantes Eduarda Barbosa Weber, Fernanda Carneiro de Oliveira e Isabela Matozo, desenvolveram o trabalho “Adaptação do carneiro hidráulico na máquina de lavar”. Durante a Feira Paranaense de Ciência e Tecnologia (FEPARCIT) 2019, conquistaram uma bolsa de estudos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) para desenvolverem seus projetos durante um ano. A mesma unidade conquistou, também no evento, o segundo lugar na categoria Ciência e Tecnologia, com o QR BALL, aplicativo que leva ao público informações sobre as regras e principais características de cada esporte, por meio de QR Codes inseridos em bolas esportivas.

“Acreditamos que, cada vez mais, precisamos desenvolver alunos preparados para atuar na sociedade de forma a torná-la mais sustentável nos aspectos econômicos, sociais e ambientais. Para isso, a produção científica é fator determinante na construção de concepções, tecnologias e soluções necessárias para o desenvolvimento humano e social”, explica Fabiane.

São 45 unidades do Colégio Sesi, além das 6 unidades internacionais que aliam toda a prática inovadora das nossas aulas ao aprendizado da cultura e idiomas. As transferências para matrículas no segundo semestre de 2019 estão abertas até o final de julho. As aulas estão previstas para começar no dia 22 de julho. As matrículas devem ser feitas presencialmente nas secretarias. Para mais informações, acesse o site colegiosesi.com.br ou entre em contato pelo telefone 0800 648 0088.

About Author