Indicadores Econômicos > Balança Comercial

Saldo da balança comercial paranaense fecha semestre em alta

Resultado positivo de US$ 996,9 milhões ocorreu mesmo com queda de 12,8% nas exportações e aumento de 18% nas importações

Mesmo com queda de 12,8% nas exportações e crescimento de 18% nas importações, a balança comercial paranaense fechou o primeiro semestre de 2019 com saldo positivo de US$ 996,9 milhões. O estado acompanhou, de forma pouco mais acentuada, a tendência nacional de redução na atividade de comércio exterior. O Brasil registrou baixa de 3,5% nas exportações quando comparado com os primeiros seis meses do ano anterior. A balança comercial brasileira também teve queda, de 13%, mas fechou positiva, com saldo de US$ 26,1 bilhões.

Destaque do semestre foram as exportações de cereais para o Oriente Médio: aumento de 71% em relação ao primeiro semestre de 2018.
Crédito da foto: Gilson Abreu.

O Paraná exportou US$ 7,8 bilhões de janeiro a junho. Já as importações totalizaram US$ 6,8 bilhões. Apesar da redução nas vendas externas, o estado foi o sexto no país que mais exportou. O destaque das exportações no primeiro semestre foi o forte crescimento das vendas de cereais, aumento de 71% em relação ao primeiro semestre de 2018. Até junho, foram embarcados mais de US$ 200 milhões, principalmente para o Oriente Médio, responsável pela compra de 84% dos produtos.

Por outro lado, o Paraná foi o quarto estado que mais importou. O resultado foi puxado especialmente pelo crescimento da importação de peças para o setor automotivo e de fertilizantes usados no agronegócio. “Essas são duas das principais atividades econômicas do Paraná”, afirma o presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo. “Como a produção de veículos vem registrando recuperação neste ano e com a previsão de crescimento na safra de grãos, também aumentaram as importações de insumos para atender essa demanda”, acrescenta.

Produtos químicos e material de transporte tiveram crescimento nas importações de 33% e 46%, respectivamente. Já os itens de mecânica e petróleo tiveram queda no semestre. No primeiro, a redução nas compras foi de 7,6%. E, no segundo, de 0,9%.

Menor dinamismo

Em relação às exportações, o economista da Fiep, Evânio Felippe, afirma que a queda se justifica, entre outros fatores, pela diminuição nas vendas para importantes parceiros. “Verificamos que há um menor dinamismo no mercado internacional, sobretudo pela queda nas vendas para o mercado argentino, de 40%, e para a China, de 32%. Isso explica, em parte, a redução das exportações paranaenses neste primeiro semestre”, justifica.

Dos quatro principais grupos de produtos vendidos pelo Paraná neste primeiro semestre (soja, carnes, material de transporte e madeira), apenas o comércio de carnes teve crescimento. O setor vendeu U$ 1,4 bilhão em mercadorias, alta de 15%. Soja, material de transporte e madeira acumulam queda nas vendas em torno de 33%, 10% e 5%, respectivamente.

Os principais destinos dos produtos paranaenses nestes primeiros seis meses do ano foram China, Argentina, Estados Unidos, Colômbia e Holanda. Destaque para o crescimento nas vendas para os EUA, de 7%, e para a Colômbia, de 123%, este último, principalmente para atender demandas do setor automotivo por modelos 1.0 e veículos para transporte de passageiros.

 O Paraná comprou produtos principalmente da China, Estados Unidos, Argentina, México e Alemanha. Com exceção deste último, em todos houve crescimento das importações. O destaque é o mercado mexicano, com alta de 125%.

Brasil

Os produtos que o Brasil mais exportou no primeiro semestre foram soja, derivados do petróleo e material de transporte. E os que o país mais importou foram produtos químicos e materiais elétricos e eletrônicos.

About Author