Sesi e Senai são instituições que mais contribuem para a formação profissional no Brasil

Pesquisa realizada com 4 mil empresários industriais aponta que as instituições têm imagem positiva e a atuação no apoio às atividades do setor é amplamente aprovada

Criados há quase 80 anos para auxiliar no desenvolvimento da indústria e no fortalecimento da economia do Brasil, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e o Serviço Social da Indústria (Sesi) são considerados pelo setor privado como as entidades que mais contribuem para a qualificação profissional no país. Uma sondagem – realizada pelo Instituto FSB Pesquisa com 4 mil empresários brasileiros – aponta que as instituições têm imagem altamente positiva e atuações com altas taxas de aprovação no setor privado.

CEOs, presidentes, vice-presidentes e sócios de empresas de micro, pequeno, médio e grande portes de todo país foram ouvidos pela pesquisa, que buscou avaliar a percepção sobre a qualidade do ensino técnico no Brasil, a qualidade da educação básica técnica e profissional oferecida pelo Sesi e Senai e a imagem que os empresários têm das instituições, em comparação com outros atores do ensino técnico. Numa escala de 0 a 10, as entidades do chamado Sistema S receberam nota 7,0 por sua contribuição à qualificação profissional, frente aos 6,3 da rede privada e 4,9 da rede pública.

Quando se referem aos cursos do Senai e às ações de educação do Sesi a opinião também é positiva. Para 83,2% dos entrevistados os cursos do Senai são ótimos ou bons, enquanto 77,4% têm a mesma visão sobre as ações do Sesi. Quando perguntados sobre a imagem do Sesi e do Senai, 89,7% consideram positiva – a parcela que avaliou como negativa somou 2,5%. Em relação ao trabalho realizado pelas duas instituições, 35,4% dos entrevistados consideram como ótimo e 49,8% bom, enquanto 1% percebem a atuação das duas casas como ruim ou péssima.

“Os resultados da pesquisa são um reconhecimento da importância do trabalho do Sesi e do Senai para a indústria e para a sociedade brasileiras”, afirma Edson Campagnolo, presidente do Sistema Fiep. “Um trabalho que amplia a competitividade das empresas e, acima de tudo, tem um poder transformador nas vidas das pessoas que passam por seus cursos e programas, contribuindo de maneira direta para o desenvolvimento econômico e social do país”, completa.

FORMAÇÃO PROFISSIONAL

O ensino técnico no Brasil, como um todo, tem avaliação positiva, sendo considerado ótimo ou bom para 47,3% dos empresários ouvidos e regular para 38,4%. Uma ampla maioria (84,1%) aponta aspectos positivos do ensino técnico, sendo a qualidade dos cursos (32,3%), oportunidade emprego/estágio (11,9%) e formação dos trabalhadores (8,5%) os atributos mais citados. Em relação ao Senai, 87% citaram pontos positivos da instituição e indicaram, de forma espontânea, a qualidade dos cursos (41,2%), a formação de trabalhadores (13,4%) e os cursos (9,8%) como seus principais atributos.

O ensino técnico e profissional, aliás, é a principal referência feita pelos empresários quando perguntados sobre o Senai. As citações ligadas à qualificação do trabalhador chegam a quase 60% das menções espontâneas dos entrevistados, sendo “ensino técnico/profissionalizante” a mais dita (30,2%), seguida de “cursos” (16,2%) e “cursos voltados para a indústria (12%). Os cursos técnicos são, de forma destacada, as ações e atividades desenvolvidas pelo Senai mais conhecidas pelos empresários, citados espontaneamente por 78,7%.

A educação básica e outras modalidades de ensino oferecidas pelo Sesi também contam com reconhecimento. Em relação à opinião dos entrevistados, 60,5% citaram algum ponto positivo sobre a instituição, como a qualidade dos cursos (14,5%) a formação dos trabalhadores (9,1%) e ações de lazer e cultura (8,2%), além de trabalhos sociais realizados (7,2%).

OUTROS SERVIÇOS

Além de serem reconhecidos como referência em educação, outros serviços prestados pelo Sesi e Senai de apoio à atividade industrial também têm avaliação positiva entre os empresários industriais. As soluções de tecnologia e inovação oferecidas pelo Senai, por exemplo, são consideradas como ótimas ou boas por 68,2% dos ouvidos. Os serviços de promoção de saúde e segurança do trabalho (SST) oferecidos pelos Sesi, por sua vez, são considerados ótimos ou bons por 45,9% dos entrevistados.

GESTÃO DOS RECURSOS

Como integrantes dos Serviços Sociais Autônomos – o chamado Sistema S –, são financiados por contribuições compulsórias recolhidas sobre as folhas de pagamento das empresas industriais. Para os ouvidos, em relação ao modelo de gestão de recursos, 78,3% consideram que as entidades empresariais são as que têm maior capacidade para administrar os recursos, enquanto 11,6% avaliam que a atribuição deve ficar com o governo e 4,3% consideram que deve ficar com ambos. Entre eles, 84,1% concordam total ou parcialmente que a gestão privada garante maior eficiência à utilização dos recursos utilizados na educação profissional.

A pesquisa também consultou os empresários sobre sua percepção da relação custo-benefício da contribuição compulsória para financiamento das atividades do Sesi e do Senai de apoio à atividade industrial. Mais da metade (55,1%) a consideram muito boa ou boa, enquanto 19% a percebem como regular. Apenas 9,5% dos entrevistados avaliam a relação custo-benefício como ruim ou muito ruim. Em relação ao eventual uso dos recursos para outras finalidades, como alocação para o ajuste fiscal ou o financiamento da Previdência, os empresários se mostram amplamente contrários: 76,4% discordam em parte ou totalmente com propostas neste sentido.

PRINCIPAIS CONCLUSÕES

  • 57,3% dos empresários avaliam como ótimo ou bom o ensino técnico e profissional no Brasil
  • 85,2% dos empresários avaliam o trabalho do Sesi e do Senai como bom ou ótimo
  • 89,7% dos empresários têm imagem positiva ou muito positiva do Sesi e do Senai
  • A qualidade dos cursos do Senai é seu principal ponto forte por 41,2% dos ouvidos
  • Com nota 7, as entidades do Sistema S são que mais contribuem para a qualificação profissional. A rede privada de ensino, com nota 6,3, e rede privada (4,9) contribuem em menor medida, segundo os empresários.
  • 91,2% dos empresários têm imagem positiva ou muito positiva do Senai. Para o Sesi, esse percentual é de 79,4%

COMO DIFERENTES PÚBLICOS PERCEBEM O SESI E O SENAI

Além de prospectar a percepção de empresários da indústria, o Instituto FSB Pesquisa realizou outras três sondagens para colher a opinião de diferentes públicos sobre a atuação do Sesi e do Senai. Foram ouvidos 200 jornalistas de todo país, 75 stakeholders (seleto grupo de altos executivos) e 273 parlamentares. Seguem as principais conclusões das pesquisas por público:

  Empresários Jornalistas Stakeholders Parlamentares
Imagem 89,7% avaliam como ótima ou boa 90% avaliam como
ótima ou boa
84% avaliam como ótimo ou boa 79,1% avaliam como ótima ou boa
Atuação 85,2% avaliam como ótima ou boa 91,5% avaliam como ótima ou boa 85,3% avaliam como ótima ou boa 70,8% avaliam como ótima ou boa
Gestão dos recursos 78,3% concordam que gestão privada é mais eficiente 91% concordam que gestão privada é mais eficiente 88% concordam que gestão privada é mais eficiente 70% concordam que gestão privada é mais eficiente

 

About Author