Paraná perde liderança na produção industrial em junho

Estado foi ultrapassado pelo Rio Grande do Sul, mas crescimento de 7,8% no semestre é bem superior ao registrado no mesmo período de 2018, que foi de apenas 0,2%

O Paraná teve crescimento de 7,8% na produção industrial nos seis primeiros meses de 2019. Resultado bem superior ao registrado no mesmo período do ano passado, que foi de apenas 0,2%. O resultado também é bem melhor quando comparado ao nacional. A produção industrial brasileira teve queda de 1,6% neste primeiro semestre, enquanto no ano passado acumulava alta de 2,2%. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (7/8) pelo IBGE.

Crescimento do Paraná no semestre foi puxado pelos setores automotivo, de máquinas e equipamentos e de alimentos.
Crédito da foto: Gelson Bampi

Apesar da superioridade nos números, o Paraná foi ultrapassado pelo Rio Grande do Sul após a divulgação do resultado de junho. O estado gaúcho acumula 8% de crescimento de janeiro a junho deste ano. Santa Catarina fica na terceira posição, com alta de 4,7% na produção industrial. Os números confirmam que o Sul vem puxando o crescimento industrial do país este ano, bem diferente do que ocorre no Sudeste, onde os quatro estados (SP, RJ, MG e ES) acumulam quedas na produção.

Para o presidente do Sistema Fiep, Edson Campagnolo, algumas medidas tomadas pelo governo podem melhorar o ritmo de crescimento no estado e no país nos próximos meses. “A aprovação da Reforma da Previdência, o debate em torno da Tributária, a queda na taxa Selic, que melhora as condições para buscar crédito mais barato para fazer investimentos, e a liberação do FGTS devem dar um novo ânimo aos empresários no médio e longo prazo. O aumento da confiança numa possível melhora da economia, pode acelerar também a geração de empregos e o aumento do consumo, que impactam diretamente no resultado da produção industrial”, avalia.

O crescimento do Paraná no semestre foi puxado principalmente pelo bom desempenho do setor automotivo (+23,8), de máquinas e equipamentos (+22,2%) e de alimentos (+10,5%). “São justamente alguns dos segmentos mais representativos na composição da produção industrial do estado”, analisa o economista da Fiep, Thiago Ramos. No ano, acumulam quedas os setores moveleiro (-4,6%), da madeira (-3,7%) e bebidas (-3,5%).

“Os resultados dos dois últimos meses já sinalizavam uma queda no dinamismo da produção industrial paranaense, que começou o ano forte e vinha perdendo ritmo nos últimos meses. Mas o resultado acumulado no ano ainda é bom se comparado com o verificado em outros estados com forte perfil industrial”, completa Ramos.

A produção paranaense teve queda de 2,3% este mês em relação a maio. No Brasil também houve retração no mesmo período, de 0,6%. Em relação a junho de 2018, os números indicam recuo de 3,3% no Paraná, e mais acentuada, em – 5,9%, no Brasil.

Este mês também houve alta do setor de produtos químicos (+5,3%), madeireiro (+4%) – recuperando parte das perdas acumuladas no ano, e do automotivo (+3,7%). Em função de movimentos sazonais, em junho, os destaques negativos atingiram fabricação de bebidas (-19%), papel e celulose (-12%), borracha e plástico (10%) e petróleo (-8,2%).

About Author