Startups empreendem em prol dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Evento organizado pelo Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial (CPCE) apresentou cases de empreendedores com startups relacionadas aos ODS

Estabelecimento de indicadores para reduzir a pobreza, tecnologia para hortas urbanas que promovem alimentação saudável e reduza o problema da fome, próteses inteligentes e acessíveis para melhorar a qualidade de vida das pessoas, educação corporativa para a base da pirâmide de trabalho, inclusão das mulheres no mundo da informática e redução das desigualdades. Estes foram alguns dos projetos de startups apresentados por empreendedores na I Rodada de Startups ODS: Negócios para as Pessoas. Promovido pelo Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial (CPCE), organização criada em 2004 pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), o evento trouxe cases de empreendedorismo que estão relacionados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) relacionados às pessoas, como foco na redução da pobreza e da fome (ODS1 e ODS2), melhoria da saúde (ODS3) e educação (ODS4), gênero (ODS5) e redução das desigualdades (ODS10). A rodada de startups contou com o apoio da Gerência de Tecnologia e Inovação do Sistema Fiep por meio da consultora da Aceleradora Sistema Fiep, Priscilla Tiê Assahida Moreira.

A coordenadora do CPCE, Rosane Fontoura, abriu o evento apresentando os ODS em questão. “Nossa programação preocupou-se em fomentar as organizações que desenvolvem oportunidades de negócio quando pensamos nos diversos desafios da Agenda 2030, da ONU”, conta.

Michele de Souza é CEO e founder da Cycor Cibernética, uma das startups participantes da rodada. A Cycor é uma healthtech que atua com tecnologias desenvolvidas para solucionar problemas de saúde e de reabilitação, como próteses inteligentes e exoesqueletos. O impacto positivo na sociedade está na essência da empresa, que surgiu com o objetivo de transformar engenharias em soluções de alto impacto na vida das pessoas. “A inovação e a criatividade podem ter um impacto positivo e devem ser exploradas por várias áreas, inclusive na saúde. Se, por meio do meu trabalho, eu conseguir melhorar a vida de uma pessoa, e esta beneficiar a vida de outras, e por aí vai, já temos um mundo melhor”, afirma Michele.

Além da Cycor, estiveram presentes representantes das startups Peacelabs, Favo Tecnologia, Já entendi, Techladies e do projeto We Are All Smart (WAAS). O evento possibilitou divulgar os trabalhos dessas empresas e mostrar como é possível unir empreendedorismo com papel social. É o que comenta Paulo Gabriel de Oliveira Ribeiro, conselheiro júnior do CPCE: “O mais interessante nas palestras foi a maneira como os empreendedores apresentaram suas ideias e soluções. Foi possível compreender como é palpável fazer a diferença empreendendo”.

Rui Gerson Brandt, diretor geral do CPCE, comenta sobre o alto potencial de desenvolvimento dessas startups. “O empreendedorismo com foco em um mundo melhor envolve ações e compromisso com o desenvolvimento humano. Esses empresários veem seus negócios de forma diferente, percebendo a necessidade de mudança na sociedade e encontrando uma oportunidade. Assim, conseguirão ter um negócio bem-sucedido e tornar a sociedade melhor a longo prazo”, analisa.

About Author