Novo modelo de concessão de rodovias do Paraná vai reduzir custos logísticos para a indústria, afirma Fiep

Redução da tarifa pode chegar a 50% nos 4,1 mil quilômetros de estradas

Uma redução de até 50% nos custos logísticos, além de mais segurança no transporte devem ser os principais benefícios para o setor industrial do Paraná com o novo modelo de concessão das rodovias que cortam o Estado. Para a Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), a ordem de serviço para o início dos estudos das Concessões de Rodovias Paranaenses, assinada nesta sexta-feira (13 de setembro) pelo governo do Estado, é um marco e atende a uma antiga reivindicação do setor produtivo.

“Há anos defendemos a não prorrogação dos atuais contratos de pedágio e a adoção de um novo modelo de concessão e isto está acontecendo agora”, destacou o presidente da Fiep, Edson Campagnolo. Para ele, é o início de uma nova fase que trará mais produtividade, agilidade, segurança e menores custos logísticos para as indústrias do Estado que vão ganhar competitividade.

No total, a estrutura de estradas pedagiadas do Paraná passará dos atuais 2,5 mil quilômetros para 4,1 mil quilômetros. Os próximos nove meses serão dedicados à elaboração do projeto, com a identificação de todas as obras de ampliação, benfeitorias e manutenção necessárias. No primeiro semestre de 2021 acontece a licitação para a concessão e o novo contrato entra em vigor em novembro de 2021. Além da gestão das rodovias, o novo contrato compreende a execução de todas as obras necessárias. “A Fiep vai continuar articulando a mobilização dos empresários para levantar as necessidades de ampliação de capacidade e melhorias das condições de tráfego e segurança nas estradas”, diz Campagnolo.

About Author