Coluna > Coluna semanal

Mais produtividade para todo o Paraná

Sistema Fiep, por meio do Senai e em parceria com o governo federal, desenvolve programa Brasil Mais Produtivo, que pretende atender 200 indústrias do Paraná

Um dos desafios das empresas brasileiras para seguirem competitivas é o aumento da produtividade. Alguns levantamentos mostram que, comparada à de outros países, no Brasil ela cresce em ritmo ainda muito lento. Segundo dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI), que analisou o avanço da produtividade em 12 países entre 2002 e 2012, a taxa média de crescimento do índice que mede quanto se produz por hora trabalhada foi de apenas 0,6% ao ano no Brasil – a mais baixa da comparação. Já na Coreia do Sul, a alta foi de 6,7% ao ano.

Essa baixa produtividade contribuiu para que o Brasil registrasse, no período analisado, o mais alto Custo Unitário do Trabalho em dólares reais. O índice, que representa o gasto com trabalho para se produzir um bem, aumentou 9% ao ano, enquanto o segundo colocado, a Austrália, registrou alta de 5,3% ao ano.

Diante desse quadro, o Sistema Fiep, por meio do Senai e em parceria com o governo federal, desenvolve uma iniciativa chamada Brasil Mais Produtivo. Ela pretende atender, até setembro deste ano, 200 micro, pequenas e médias indústrias em todo o Paraná. O objetivo é aumentar em pelo menos 20% a produtividade das empresas participantes com a aplicação do conceito de lean manufacturing, ou manufatura enxuta.

Mas os ganhos podem ser ainda mais expressivos. As 40 indústrias paranaenses que participaram de um projeto-piloto desenvolvido pelo Senai no ano passado aumentaram a produtividade entre 33% e 63%. Além disso, houve redução de 94% no tempo de movimentação do funcionário na linha de produção e de 28% no tempo de montagem de produtos (de 13 para 9 horas, em média). Isso significou ganhos de 24% na produção. O tempo que as máquinas ficam paradas para manutenção também foi reduzido em 76%.

Ainda neste ano, o Senai no Paraná será responsável pelo atendimento das empresas dos setores Moveleiro, Metalmecânico, e Alimentos e Bebidas. E se antes apenas as indústrias das regiões de Arapongas, Curitiba, Londrina e Maringá poderiam se beneficiar, a novidade é que agora empresas de todo o Estado podem se inscrever.

As indústrias escolhidas para participar do programa terão a consultoria durante três meses, totalizando 120 horas de atividades dos especialistas do Senai. Desse total, 96 horas são de assistência e consultoria nas linhas de produção. Para participar do Brasil Mais Produtivo, além de se enquadrar em um dos setores contemplados, é necessário ter no máximo 200 funcionários.

E mesmo quem não se enquadra no programa do governo federal pode aderir ao modelo enxuto por meio das consultorias do Senai. Após um diagnóstico inicial, a equipe de técnicos faz o dimensionamento de horas que serão necessárias para a implementação da consultoria. Assim, dá-se o primeiro passo para uma maior produtividade, competitividade e sucesso nos negócios.

Conheça o Brasil Mais Produtivo

Quem pode participar:
– Empresas de micro, pequeno e médio porte de todo o Paraná
– Dos setores moveleiro, metalmecânico e de alimentos e bebidas

Como funciona:
– O Senai realiza consultoria no processo produtivo, utilizando o conceito de lean manufacturing, baseado na redução de desperdícios.

Resultado esperado:
– Aumentar em pelo menos 20% a produtividade das empresas

Para mais informações e inscrições: brasilmaisprodutivo.gov.br

Para saber mais sobre a consultoria do Senai: senaipr.com.br

About Author