Indústrias de alimentos fundam Instituto Paranaense de Reciclagem

Objetivo é adequar as empresas à Política Nacional de Resíduos Sólidos

Com o objetivo de reduzir impactos ambientais dando uma destinação adequada às embalagens das indústrias de alimentos, seis sindicatos industriais do setor reuniram-se para lançar o Instituto Paranaense de Reciclagem – Inpar.  A iniciativa tem o apoio do Sistema Federação das Indústrias do Paraná (Fiep). A solenidade de lançamento do Inpar aconteceu nesta quarta-feira (5 de julho), na sede da Fiep, em Curitiba.

“A legislação sobre este tema coincidiu com o início da nossa gestão e desde então estamos trabalhando no sentido de apoiar as indústrias para que elas se adequem e possam cumprir a lei”, disse Edson Campagnolo, presidente da Fiep, no lançamento do Inpar.

Campagnolo lembrou que no começo as indústrias chegaram a ser vistas como vilões, como se não estivessem tomando inciativas e sendo proativas. “Mas desde o início estavam, sim, preocupadas e buscando se adequar”, disse, acrescentando que o Inpar vem para propor uma solução que vai dar segurança e tranquilidade para o micro, pequeno, médio e grande empreendedor. “E é uma questão  de sustentabilidade e este protagonismo é muito importante”, reforçou.

O presidente da Fiep enalteceu o trabalho dos seis sindicatos industriais que estão à frente deste trabalho – Sincabima, Sindicarne, Sindiavipar, Sinduscafé, Sinditrigo e Sipcep. Campagnolo disse que esta iniciativa poderá ser extensiva a todos os sindicatos da base da Fiep e que este olhar para a sustentabilidade ficará como um legado da atual gestão da Federação das Indústrias do Paraná.

Cooperativas de catadores – O Inpar será presidido por Rommel Barion, presidente do Sincabima. Ele explicou que o Instituto fará ações com as cooperativas de catadores de recicláveis e com empresas que fazem a reciclagem. “Além disso, vamos também promover ações de educação ambiental porque não basta apenas atacar as questões legislativas. Temos que focar na educação”, ressaltou.

Segundo Barion, a intenção é incentivar as empresas que se associarem ao Inpar a desenvolverem projetos específicos para os mais diversos tipos de embalagens. “Já existe tecnologia disponível que faz a reciclagem de embalagens, gerando um produto composto que pode ser utilizado tanto para combustível como para fazer madeira reciclável”, explica. Barion também informou que o Senai será parceiro do Instituto e dará o suporte necessário no que se refere à tecnologia e pesquisa.

O lançamento do Inpar teve a presença do secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná, Antonio Carlos Bonetti. Ele disse que a secretaria apoia a iniciativa. “A legislação existe, mas apostamos sempre na participação da sociedade. Neste caso, não precisamos da fiscalização, mas da consciência dos empresários que, de forma organizada, como no Inpar, estão fazendo a sua parte”, destacou.

Bonetti acrescentou ainda que “a questão ambiental universal é complexa e este é um tema que precisa ser levado muito a sério. “O planeta está nos avisando por vários sinais nos últimos anos”, frisou o secretário. Para Bonetti, não há que se debitar apenas para os governos esta responsabilidade. “Os governos estão buscando fazer a sua parte, uns mais outros menos, mas é por meio da sociedade organizada que vamos resolver estas questões de forma mais pontual”.

O Inpar – O Inpar foi idealizado nas reuniões do Comitê Gestor de Logística Reversa do setor de alimentos, e contou com as consultorias da Gerência de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Fiep e do Instituto Senai de Tecnologia em Meio Ambiente e Química.

Além de gerenciar os projetos de Logística Reversa, o Inpar visa trazer soluções econômicas e seguras para as empresas. Com o Instituto, as indústrias associadas conseguirão dar o correto encaminhamento aos produtos e embalagens pós-consumo, bem como desenvolver ações que diminuam a quantidade de resíduos gerados que muitas vezes são destinadas aos aterros. As empresas serão orientadas a se adequarem à legislação  ambiental para evitar multas e autuações.

Instituída pela Lei 12.305/2010 e regulamentada pelo Decreto 7.404/2010, a regulamentação considera que os fabricantes, importadores, distribuidores, comerciantes, consumidores e o poder público possuem responsabilidade compartilhada pelos resíduos resultantes do pós-consumo dos produtos.

O Inpar está situado no prédio da Fiep, localizado na Rua Cândido de Abreu, 200, no Centro Cívico, em Curitiba.

About Author