Para garantir a Páscoa no Paraná, indústrias de chocolate reforçam medidas de saúde e segurança

Sesi orienta fábricas para que possam se adaptar às novas recomendações e atender à demanda tradicional da época

Às vésperas da Páscoa, em meio à crise da COVID-19, as indústrias paranaenses de chocolate reforçaram as medidas de saúde e segurança nas fábricas para garantir a produção de ovos, bombons, barras de chocolate entre outros produtos e, assim, atender à demanda da época. “Na indústria de chocolates, assim como em todo o setor alimentício, a higienização já é mandatória, um processo altamente controlado de manuseio de produtos, matérias-primas, dentre outros. É claro que, neste contexto do coronavírus, deve-se redobrar o cuidado, principalmente com os colaboradores que continuam trabalhando. Por isso, o Sesi no Paraná elaborou cartilhas e outros materiais dirigidos a todas as indústrias do Estado, com recomendações para evitar a propagação da doença”, explica a gerente executiva de Segurança e Saúde para a Indústria do Sistema Fiep, Rosangela Fricke.

A gerente ainda reforça que a adoção das novas orientações “não exime as indústrias de continuarem seguindo as normas existentes antes da pandemia”. Rosangela também lembra que, assim como em outros setores da economia, caso haja algum funcionário com sintomas da COVID-19, este deve ser afastado de suas funções. “Se isso acontecer, ainda é preciso monitorar todos os demais trabalhadores que tinham contato com aquele que foi afastado. Também é importante acompanhar os dados sobre a doença diariamente para seguir as orientações mais adequadas, pois isso pode mudar a qualquer momento”, completa.

Reformulação de processos e novos canais de venda

Diante das necessidade exigidas pelo avanço do coronavírus no país, a Barion, tradicional fábrica paranaense reconhecida nacionalmente por seus produtos, reformulou todos os seus processos. “Estamos aferindo a temperatura de todos os colaboradores que precisam trabalhar presencialmente. Aqueles que ficam alocados na linha de produção estão usando máscara durante o serviço. Além disso, aumentamos a rotina de limpeza, especialmente nos locais de maior contato, com higienização constante, reorganizamos o distanciamento entre as pessoas na linha de produção e no refeitório, aumentamos a oferta de álcool em gel, e estamos trabalhando com capacidade reduzida”, comenta Fernanda Barion, gerente de marketing da marca. De acordo com ela, outras medidas também já foram tomadas, como a implementação de trabalho remoto para alguns setores e a restrição da entrada de fornecedores.

Além disso, a Barion criou novos canais de venda para atender a demanda de seus clientes. “Desde o dia 20 de março, estão no ar os nossos novos canais de atendimento ao consumidor. São eles: o Televendas, que funciona por meio de telefone fixo e whatsapp, o Drive-Thru, montado em nosso estacionamento para os clientes que desejarem buscar seus produtos na loja sem ter contato físico, a Loja Online, onde o consumidor pode realizar sua compra sem sair de casa, além do Delivery, que pode ser solicitado pelos aplicativos de entregas Rappi, IFood e James Delivery”, explica Fernanda.

A loja de fábrica, por sua vez, segue com funcionamento normal, mas também com a adoção de novas práticas que visam garantir a segurança de todos, como aumento da periodicidade da limpeza, disponibilização de álcool em gel em diversos pontos da loja e marcações na fila para que cada uma das pessoas fique a, no mínimo, 1 metro e meio de distância da outra, entre outras ações.

Treinamento com informações sobre a COVID-19

A Cuore di Cacao, chocolateria mais premiada do Brasil, também aderiu a medidas especiais de saúde e segurança em seus processos de produção. “A nossa primeira ação, logo aos primeiros sinais da chegada da epidemia no Brasil, foi reunir toda a equipe, explicando detalhadamente sobre a COVID-19, esclarecendo inclusive o que é uma pandemia e seus efeitos em âmbitos mundiais. Com o auxílio da nossa gerente de produção e nutricionista realizamos um treinamento completo para todos os funcionários”, explica Bibiana Schneider, sócia-proprietária do empreendimento.

Outros cuidados foram adicionados à rotina da empresa, como a precaução com a entrega de mercadorias na loja, sendo feitas exclusivamente pela entrada de serviço, com todas as embalagens sendo higienizadas antes de sua entrada no local. Foram disponibilizados também mais recipientes com álcool em gel e borrifadores de álcool 70 por toda a fábrica e na loja da Cuore. “Nossa equipe teve seus horários de trabalho reduzidos e suas escalas alternadas, evitando assim o maior contato entre as pessoas. Uma parte do nosso quadro de funcionários foi liberado para ficar em casa. Além disso, temos feito um acompanhamento diário com nossos funcionários, mesmo os que estão em casa, para saber se precisam de algum auxílio, monitorando qualquer tipo de sintoma”, complementa Bibiana.

Para evitar que as pessoas precisem sair de suas residências ou do trabalho, resultando em maiores chances de contágio, o empreendimento, localizado no bairro Batel, em Curitiba (PR), disponibiliza aos clientes o serviço de delivery online e por telefone, com taxa de entrega gratuita para compras acima de R$50. Outro benefício criado para atender ao público é o serviço de “drive-in”, que possibilita que o cliente dirija até a Cuore e receba o pedido, feito previamente por mensagem ou telefone, diretamente em seu carro.

About Author