Coluna > Coluna semanal

Colégio Sesi da Indústria: um futuro com mais oportunidades

O novo Colégio Sesi da Indústria traz uma proposta inovadora e auxilia na formação técnica de jovens paranaenses

Além de cursar o Ensino Médio, o estudante fará, ao mesmo tempo, cursos do Senai (Foto: Mariana Fachini)

Cinco em cada dez indústrias enfrentam a falta de trabalhadores qualificados, segundo a Sondagem Especial – Falta de Trabalhador Qualificado, feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Na avaliação dos industriais, essa falta de trabalhador qualificado prejudica 97% das empresas que enfrentam o problema.  Ainda de acordo com o estudo, a má qualidade da educação básica é o principal obstáculo das companhias que investem em ações de formação da mão de obra. O problema reduz a produtividade e a competitividade do país.

Com o objetivo de suprir as necessidades da indústria e ajudar a diminuir o déficit da falta de capacitação profissional, o Sistema Fiep traz um novo olhar para educação básica. A partir de 2021, o Colégio Sesi se transforma em Colégio Sesi da Indústria e oferta um ensino também focado na formação técnica. Já no próximo ano, o aluno aprenderá os conteúdos do Ensino Médio a partir de um ensino que sustentará sua capacitação profissional, de acordo com as reais necessidades do setor industrial, desenvolvendo habilidades relacionadas à transformação digital e as inovações tecnológicas do mundo do trabalho. O estudante terá palestras sobre a indústria, exposições culturais com temas do segmento, encontro de carreiras com industriários e módulos de aprendizado sobre o trabalho.

O maior diferencial da proposta é que, além de cursar o Ensino Médio, o estudante fará, ao mesmo tempo, cursos do Senai. “Isso quer dizer que, mesmo antes de entrar na faculdade, ele será preparado com um curso técnico pela instituição de ensino preferida por mais de 90% das pessoas que contratam na indústria, segundo a pesquisa SAPES FIII”, esclarece José Antonio Fares, superintendente do Sesi e do IEL e diretor regional do Senai no Paraná. Ao longo do ano letivo, o jovem participará de diversas atividades dentro das indústrias. Assim, ele continuará aprendendo os conteúdos comuns da grade curricular de forma inovadora e em conexão com o processo de transformação digital que está colocando a indústria em uma nova era de produção.

“Entre as vantagens do curso técnico do Senai estão a duração de até dois anos, a união da prática e teoria em laboratórios que simulam processos industriais no cotidiano, o que permite que o aluno tenha contato com o que realmente encontrará no mercado de trabalho”, lembra Fares. Segundo dados de uma pesquisa da FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), os egressos do Sistema Fiep têm mais empregabilidade; mais chances de ascender na carreira; estão satisfeitos com o setor industrial e ainda têm expectativas alinhadas com as do mercado de trabalho: 62% dos egressos conseguem um emprego em até 6 meses.

Essa integração permitirá que o estudante conheça e opte por diferentes segmentos e rotas para seguir. A indústria parceira apresentará aos alunos as necessidades do setor para que eles possam escolher uma demanda para desenvolver projetos e soluções.

“Além das habilidades técnicas, a educação no Sistema Fiep promove as habilidades socioemocionais, ou soft skills, como comunicação, resolução de conflitos, tomada de decisões e raciocínio lógico”, ressalta Giovana Punhagui, gerente executiva de Educação do Sistema Fiep. No Colégio Sesi da Indústria, o estudante terá uma educação focada na formação de qualidade e próxima da indústria, permitindo ao aluno conquistar um papel de protagonista, com autonomia, colaboração, inovação, proatividade e qualidade para pesquisa, desenvolvendo seu lado pessoal e profissional, compartilhando experiências inesquecíveis.

Serviço
Matrículas e mais informações:
colegiosesi.com.br
0800 648 0088

About Author