Lideranças discutem prioridades para desenvolvimento de ecossistemas de inovação no Paraná

Debates acontecem dentro do projeto Rotas Estratégicas Regionais de Ciência, Tecnologia e Inovação 2040, que tem condução técnica do Observatório Sistema Fiep

Painel reuniu especialistas de diversas instituições para debater as prioridades da região Norte

Foi realizado na manhã desta terça-feira (22) mais um dos painéis técnicos do projeto Rotas Estratégicas Regionais de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) 2040. Liderada pelo governo do Estado, por meio da Fundação Araucária e da Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, a iniciativa utiliza metodologia do Observatório Sistema Fiep para mapear as potencialidades e definir ações necessárias para o desenvolvimento dos ecossistemas de inovação em nove regiões paranaenses.

Nesta terça, o painel virtual reuniu lideranças e profissionais ligados ao tema da região Norte Central, que engloba cidades como Maringá e Londrina. “Trabalhamos com foco em 2040, mas na verdade hoje estamos começando um processo de transformação do Paraná por meio da ciência, tecnologia e inovação”, afirmou o presidente do Sistema Fiep, Carlos Valter Martins Pedro, que participou da abertura do evento. Para ele, a construção das rotas estratégicas envolvendo diferentes atores é um processo sem precedentes no Paraná, que ficará como um legado para o Estado.

Já o secretário-chefe da Casa Civil do governo estadual, Guto Silva, afirmou que a inovação é o caminho para criar novos cenários para o Paraná. “E essas rotas serão um instrumento importante para a gente poder consolidar o que o Paraná já tem. Há muita coisa sendo produzida e muito potencial para a gente avançar ainda mais”, declarou.

A gerente-executiva do Observatório Sistema Fiep, Marília de Souza, explicou que a metodologia aplicada na construção das Rotas Estratégicas Regionais de CT&I partiu do princípio de que é preciso entender em profundidade cada um dos territórios analisados. “Para tanto, nós estamos trabalhando com estudos específicos para entender os contextos regionais. Nós construímos portais de dados específico para cada ecossistema e trabalhamos um processo de mapeamento de ativos, que estamos fazendo uma complementação com os participantes dos painéis”, disse.

Também é realizado um trabalho de análise das forças, fraquezas, oportunidades e ameaças relativas a cada um dos ecossistemas. “Também faz parte da metodologia o reconhecimento das governanças locais, uma vez que o planejamento só acontece se ele for apropriado pelos territórios”, completou.

Ainda nesta semana, serão realizados mais dois painéis regionais do projeto Rotas Estratégicas Regionais de CT&I 2040. Nesta quarta (23), será a vez do ecossistema do Litoral. Já na quinta (24), o foco é a Região Metropolitana de Curitiba. As reuniões acontecem das 8h30 às 12 horas, sempre com transmissão pelo canal da Fundação Araucária no Youtube, onde também é possível acessar os painéis anteriores. A abertura do projeto, com as discussões para a região Oeste, aconteceu no último dia 10.

About Author