Sistema Fiep anuncia investimentos em Londrina para ampliar atendimento à indústria

Município receberá a segunda Escola Sesi de Referência da Indústria no país; já uma chamada para a inovação destinará R$ 4 milhões para projetos de inteligência artificial

O Sistema Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) anunciou, nesta quinta-feira (17), investimentos que serão realizados em Londrina para ampliar o atendimento ao setor industrial da região e de todo o Paraná. O município receberá a segunda Escola Sesi de Referência da Indústria do país, que oferecerá estrutura inovadora de ensino. Além disso, serão aplicados R$ 4 milhões para abertura de um edital que financiará projetos de empresas paranaenses junto ao HUB de Inteligência Artificial, também instalado na cidade.

Confira mais fotos do evento

O evento de apresentação dos novos projetos contou com a presença de Robson Braga de Andrades, presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), entidade que é parceira das duas iniciativas. Ele destacou que os investimentos, especialmente na Escola Sesi, além de atenderem demandas da indústria, são fundamentais para ofertar à comunidade uma metodologia de ensino alinhada com as necessidades da atualidade. “Todo o desenvolvimento econômico e social passa certamente pela educação e pela formação”, disse. “E esse é o nosso compromisso com o país e com a indústria brasileira, de procurar dar aos nossos trabalhadores, que são mais de 10 milhões na indústria, oportunidade de colocar seus filhos numa escola que tenha educação melhor do que as escolas particulares brasileiras”, completou, acrescentando ainda que o Paraná é o único estado que vai receber duas unidades da nova escola do Sesi.

Para o presidente do Sistema Fiep, Carlos Valter Martins Pedro, os investimentos serão importantes para ampliar ainda mais o valor da entidade para a indústria e a comunidade da região. “O anúncio desses investimentos significa cumprir nossa missão, agregar valor no que a gente faz, tanto no Sesi quanto no Senai, para a indústria”, afirmou. Segundo ele, a nova unidade do Senai que será construída no município vai propiciar a prestação de serviços de qualidade na formação profissional e no apoio tecnológico para a indústria regional e de todo o Paraná. “Já os recursos para o HUB de IA vão facilitar o acesso para empresas menores a essa ferramenta que é imprescindível da inteligência artificial, que é o futuro da indústria. E a Escola de Referência Sesi é uma questão de qualidade e de inovação para ter uma formação de ponta nessa missão de formar os jovens para a indústria”, finalizou.

O diretor de Educação e Tecnologia da CNI, Rafael Lucchesi, ressaltou que a Escola Sesi de Referência é uma resposta às transformações tecnológicas cada vez mais rápidas pelas quais passa o mundo. “O ciclo tecnológico não é mais de 50 ou 100 anos, é de 5 ou 3 anos, e o aprendizado precisa ser dinâmico e ao longo da vida. Para isso, precisamos ter uma escola do século 21. Estamos desenvolvendo tecnologias da educação do futuro”, declarou.

Também presente ao evento, o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, afirmou que os investimentos terão reflexos positivos para a cidade em diversos aspectos. “São obras que vão ter um grande alcance social e um grande alcance educacional, no sentido de que os alunos que ali estudarem terão as mesmas oportunidades que alunos das melhores escolas particulares do Brasil”, afirmou.

Escola Sesi de Referência
A Escola Sesi de Referência da Indústria é um novo conceito de ensino que está sendo implantado pelo Sesi no Brasil. A escola de Londrina, a segunda a ser instalada no país, funcionará na unidade da Rua Belém, que passará por reformas para receber a nova estrutura. Entre os grandes diferenciais da escola, que tem foco nas necessidades da indústria, estão uma metodologia inovadora e a criação de ambientes temáticos focados nas diferentes áreas do conhecimento.

No primeiro ponto, a proposta pedagógica e metodologia inovadora da Escola Sesi de Referência integra as áreas STEAM do conhecimento – Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática. Todas elas são trabalhadas de maneira conjunta, tornando o aluno protagonista do seu processo de ensino-aprendizagem em busca de soluções para os desafios propostos em sala de aula e fora dela.

Outro ponto de destaque é o novo conceito arquitetônico, com infraestrutura moderna e funcional. As salas de aulas ambiente, organizadas por área do conhecimento, e salas de criação, voltadas ao desenvolvimento de projetos, possibilitam aos alunos maior interação e vivência de novas experiências que colaboram para aprendizado e fixação do conteúdo proposto, também com foco na preparação para o ENEM e principais vestibulares do país.

Com um espaço físico mais dinâmico, a Escola Sesi de Referência incentiva ainda mais a interação e o debate entre os alunos, estimulando a busca por soluções integradas a um mundo maker de fazer, prototipar, criar, testar rápido e aprimorar resultados.

Chamada para a inovação
No evento desta quinta, foi anunciada também a destinação de R$ 4 milhões para a abertura de uma chamada de projetos de inovação. Do total de recursos para a criação do Edital Inteligência Artificial para Indústria-PR, o Sistema Fiep e a CNI disponibilizarão R$ 1 milhão cada. Outro R$ 1 milhão é resultado de uma emenda parlamentar apresentada pela deputada federal Luísa Canziani. Por fim, as empresas participantes entrarão com contrapartidas que totalizarão mais R$ 1 milhão.

O montante servirá para apoiar projetos de inovação que envolvem competências em tecnologias em Inteligência Artificial e Tecnologias Digitais. As iniciativas serão desenvolvidas em parceria com o HUB de Inteligência Artificial. Criada em 2019, essa estrutura do Senai atua como um Centro de Provas de Conceito de Inteligência Artificial, para que as empresas experimentem a aplicação de IA de forma acessível e ágil.

O HUB tem expertise para acelerar a adoção das novas tecnologias nas indústrias brasileiras, unir startups que queiram provar o conceito das ideias e empresas que desejam identificar soluções prontas para adoção, além de formar capital humano apto a desenvolver e aplicar a IA na indústria. Com esse foco, criou o Programa de Residência em Inteligência Artificial, que busca impulsionar a formação de profissionais para atender as demandas do mercado. Assim como em uma residência médica, o programa alia teoria à prática e é baseado na aplicação das tecnologias de IA em casos reais de empresas parceiras.

Nova unidade do Senai
Também foi apresentada durante o evento a nova unidade do Senai em Londrina. Anunciada em dezembro e com previsão para entrar em funcionamento no final de 2023, a estrutura terá foco nas áreas de Educação, por meio do Centro de Formação Profissional Dr. Celso Charuri, e de Tecnologia e Inovação, abrigando o Instituto Senai de Tecnologia da Informação e Comunicação e o HUB de Inteligência Artificial.

A nova edificação, que terá 7.776 m² de área construída, será instalada no bairro Jardim Bancários. A estrutura dedicada à educação levará o nome do fundador da Pró-Vida, movimento responsável pelo investimento nas obras, estimado em R$ 35 milhões. Além disso, o Senai Paraná deve investir entre R$ 40 e R$ 50 milhões em laboratórios e equipamentos – muitos dos quais serão importados.

O Centro de Formação Profissional terá capacidade para atender 685 alunos, com 16 salas de aula e 16 laboratórios – entre eles, os voltados a desenvolvimento de software, robótica, eletrônica, realidade virtual e aumentada, internet das coisas e automação industrial. O espaço contará, ainda, com um auditório para até 200 pessoas. A unidade oferecerá cursos do Senai nas modalidades de aperfeiçoamento, qualificação, curso técnico, ensino superior e pós-graduação.

Já as estruturas de tecnologia e inovação – compostas pelo Instituto Senai de Tecnologia e Comunicação e o HUB de Inteligência Artificial – poderão atender, em média, 154 pessoas, e contarão com equipes de pesquisadores para o desenvolvimento de soluções voltadas às demandas das indústrias. Entre as tecnologias contempladas pelo espaço, estão governança de TIC, governança de dados, gestão de serviços, engenharia de SW, testes de software, inteligência artificial, cloud computing, cyber security, e análise de dados.

About Author