Institucional > FIEP

Sistema Fiep participa da 2ª edição da SC Expo Defense

Com estande na feira de tecnologias e produtos de defesa, entidade divulgou as ações do Comdefesa e do ISI Eletroquímica

Vice-presidente Hamilton Mourão visitou o estande do Sistema Fiep (Fotos: Fernando Willadino/Fiesc)

O Sistema Fiep marcou presença na 2ª edição da SC Expo Defense, feira de tecnologias e produtos de defesa, realizada nos dias 19 e 20 de maio, na Base Aérea de Florianópolis. A participação teve como objetivo mostrar o trabalho que o Conselho Temático da Indústria de Materiais de Defesa e Segurança (Comdefesa) da Fiep realiza para aproximar as indústrias das demandas das Forças Armadas e demais forças de segurança, abrindo novas possibilidades de negócios para as empresas.

O estande do Sistema Fiep na exposição – que foi visitado inclusive pelo vice-presidente da República, general Hamilton Mourão – serviu também para apresentar a atuação do Instituto Senai de Inovação (ISI) em Eletroquímica, instalado em Curitiba. Com laboratórios e especialistas altamente capacitados, o ISI desenvolve pesquisas que podem ser aplicadas também à indústria de defesa, nas áreas de geração e armazenamento de energia; sensoriamento eletroquímico e molecular; novos materiais a revestimentos inteligentes; e caracterização, monitoramento e controle da corrosão.

Além das ações de relacionamento desenvolvidas no estande, tanto o Comdefesa da Fiep quanto o ISI Eletroquímica foram apresentados durante uma rodada de negócios promovida no segundo dia da feira. Nela, empresas, entidades e instituições de pesquisa mostraram seus produtos e ações a representantes do Exército, Marinha e Aeronáutica, além de forças de segurança.

“A participação do Sistema Fiep na Expo Defense foi uma grande oportunidade de aproximar ainda mais a indústria do Paraná e o ISI Eletroquímica das necessidades das Forças Armadas e forças de segurança, que é o principal objetivo do Comdefesa”, disse o gerente de Assuntos Estratégicos da Fiep, João Arthur Mohr, que participou da feira.

O general da reserva Sidnei Prado apresentou a atuação do Comdefesa da Fiep

Consultor técnico e representante do Comdefesa da Fiep, o general da reserva Sidnei Prado destacou que o evento foi importante também para estreitar a relação com os Comdefesas das outras Federações da região Sul: Fiesc e Fiergs. “Pretendemos, em breve, promover ações conjuntas que reforcem a participação das indústrias de toda a região no setor de defesa, além de buscar uma maior aproximação também dos ISIs dos três estados para o desenvolvimento de pesquisas conjuntas de interesse das Forças Armadas e de segurança”, disse.

O empresário Nelson Hübner, coordenador do Comdefesa da Fiep, também esteve presente na SC Expo Defense. A CSD Componentes & Sistemas de Defesa, empresa pertencente ao Grupo Hübner, foi uma das indústrias que expôs seus produtos na feira.

Áreas de interesse
O pesquisador Heverson Renan de Freitas, líder da área de Smart Energy do ISI Eletroquímica, que participou da rodada de negócios, disse que o evento foi importante para apresentar as competências de inovação do Sistema Fiep. “Foram visualizadas várias possibilidades de desenvolvimento em conjunto, principalmente com as Forças Armadas e com a IMBEL”, afirmou, referindo-se à Indústria de Material Bélico do Brasil, empresa pública vinculada ao Ministério da Defesa. “Além disso, surgiram oportunidades também com as cerca de 30 empresas que estavam apresentando suas soluções para as Forças Armadas”, completou.

Serviços de inovação do Sistema Fiep foram apresentados pelo pesquisador Heverson Renan de Freitas

Entre as áreas de atuação que mais chamaram a atenção, no caso da Aeronáutica, estão o desenvolvimento de soluções para estruturas metálicas, energia, sensoriamento e materiais avançados. Já para a Marinha, foram os estudos de corrosão (sensoriamento e revestimentos) em água salgada, além da aplicação de BIM (Building Information Modeling) na construção de navios. A IMBEL, por sua vez, interessou-se por soluções para sensoriamento, rastreio e dessensibilização de explosivos, comunicação e eletrônica, baterias para comunicação, impressão 3D de componentes e estudos de corrosão. E o Exército por estudos de corrosão de componentes, tratamento e testagem de qualidade da água e várias aplicações de baterias.

Sobre a SC Expo Defense
A SC Expo Defense é promovida pela Fiesc, por meio de seu Comdefesa. O evento reuniu empresários, representantes das Forças Armadas, forças de segurança e de centros de pesquisa com a intenção de aproximar indústria, Defesa e instituições de ensino e desenvolvimento de tecnologia para gerar negócios e garantir o atendimento a demandas da Aeronáutica, do Exército e da Marinha, bem como das forças de segurança estaduais.

Na Expo Defense, além de conhecer parte da produção de indústrias que já fornecem para as Forças Armadas, os participantes tiveram informações sobre projetos estratégicos da Defesa. Uma das atrações foi a réplica do novo caça multimissão FX-2 Gripen, da Força Aérea Brasileira (FAB). Os visitantes puderam entrar e fazer fotos no equipamento, semelhante às aeronaves que vão incluir o Brasil no restrito grupo de países que utilizam caças de alta tecnologia.

O Exército também esteve presente e expôs suas principais viaturas blindadas, peças e ferramentas que atualmente são importadas. Existe o interesse na nacionalização desses itens e os visitantes puderam manter contato com especialistas para conhecer as especificações técnicas dos equipamentos. Além disso, um representante da 4ª Subchefia do Estado-Maior do Exército sanou dúvidas dos empresários sobre o Sistema de Cadastramento de Produtos e Empresas de Defesa (SISCAPED), sistema de gestão do processo de Credenciamento de Empresas de Defesa (ED), Empresas Estratégicas de Defesa (EED), de Classificação de Produtos de Defesa (PRODE) e Produtos Estratégicos de Defesa (PED).

Já a Marinha apresentou embarcações, aeronaves e as maquetes de projetos estratégicos como o SCPN Submarino Convencional com Propulsão Nuclear “Álvaro Alberto” e o Reator nuclear que constituirá a Planta Nuclear Embarcada (PNE). Os visitantes também conheceram a maquete da Fragata Classe Tamandaré, um dos mais modernos e inovadores projetos navais do Brasil, que será produzido em Santa Catarina com investimento de cerca de R$ 9 bilhões.

About Author