Curitiba ganha o Parque Tecnológico da Indústria

Iniciativa do Senai Paraná objetiva desenvolver tecnologias para gerar inovação, bem-estar, crescimento econômico e desenvolvimento social no Paraná

Fabiane Franciscone, diretora regional do Senai e superintendente do Sesi e do IEL no Paraná, com o presidente do Sistema Fiep, Carlos Valter Martins Pedro, no estande do Senai no Smart City

Instalado no Campus da Indústria, em Curitiba, o Parque Tecnológico da Indústria reunirá empresas, startups, capital intelectual, institutos de pesquisa e órgãos do governo em busca do crescimento econômico e do desenvolvimento social a partir de soluções em transporte mais inteligentes.

Anunciada na 4ª edição do Smart City Expo Curitiba, a iniciativa do Senai Paraná terá como principais focos de atuação a mobilidade sustentável, com gestão de dados, visando soluções para o transporte público, micromobilidade e veículos leves. O presidente do Sistema Fiep, Carlos Valter Martins Pedro, destaca que a área de mobilidade inteligente tem total aderência à temática do evento em que foi lançado.

“É um momento especial casar este evento do Smart City com o que nós estamos lançando neste projeto para a indústria do Paraná, no setor de mobilidade. Estamos alinhados e cooperativos nisso”, diz. Ele acrescenta, ainda, que o Parque, apesar de situado na capital, será a porta de entrada para todos os ativos que o Sistema Fiep mantém no Paraná na área de tecnologia e inovação, que apoiam a indústria paranaense a se tornar cada vez mais competitiva.

Fabiane Franciscone, diretora regional do Senai e superintendente do Sesi e do IEL no Paraná, enfatiza que o lançamento potencializará um ecossistema inovação já maduro. “As indústrias, startups e organizações instaladas no Parque, encontrarão um ambiente de conexão, tendo ainda à disposição os institutos de tecnologia e inovação do Senai para realizar entregas de valor à sociedade e ao setor automotivo paranaense, um dos principais polos do país”, afirma.

O gerente executivo de Tecnologia, Inovação e Responsabilidade Social do Sistema Fiep, Fabrício Lopes, conta que o Parque Tecnológico tem como objetivo auxiliar no desenvolvimento de novas tecnologias e nacionalização de produtos e soluções hoje produzidas no exterior. “Queremos atrair empresas que tenham boas ideias e soluções tecnológicas para que elas possam produzir seus lotes-piloto, buscando parceiros para isso”, revela.

Com inauguração prevista para início de 2024, contará com uma estrutura exclusiva de mais de 4,5 mil metros quadrados com laboratórios de prototipagem, planta semi-industrial para produção de módulos e packs de baterias, área para empresas e startups produzirem pequenos lotes de suas soluções, estímulo à criação de novos negócios relacionados à mobilidade, espaço de conexão do ecossistema de inovação, entre outros serviços. O investimento inicial é de mais de R$ 12 milhões, provenientes de um edital da Finep voltado para a implantação de Parques Tecnológicos, além de recursos do Senai Paraná e do Sesi Paraná.

O setor no Paraná

O Paraná é o estado que mais emprega no setor automotivo e de reparação de veículos na região Sul. Dados de 2020 e 2022 da RAIS (Relação Anual de Informações Sociais) e do Novo Caged (Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho e Emprego, apontam o estado com mais de 63 mil postos de trabalho ocupados no setor (até agosto 2022), em mais de sete mil empresas especializadas (2020). Somente o setor de reparação automotiva responde por quase 24 mil empregos.

Já de acordo com dados da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), o total da frota nacional de leves eletrificados superou a marca dos 125 mil veículos em circulação no país desde o início da série histórica, em 2012. Em 2022, o mundo atingiu a marca de 17 milhões de veículos elétricos. O Paraná possui a 6ª maior infraestrutura de recarga de veículos elétricos no país e isso corresponde a 5% da infraestrutura nacional, o que indica que há muito espaço para melhorias.

Com um mercado crescente, principalmente por causa do compromisso climático nacional de reduzir as emissões de gases poluentes em 43% até 2030 – segundo o Climate Watch (IEA), em 2019 o setor de transportes representava 13,86% das emissões totais de CO² no Brasil – e de atingir a neutralidade climática até 2060, haverá cada vez mais necessidade da formação de pessoas para trabalhar não apenas nas linhas de frente das montadoras, mas, também, no setor da reparação automotiva.

O Senai do Paraná é pioneiro na capacitação profissional para veículos elétricos, tendo inaugurado a primeira escola voltada à temática em 2018, que atualmente é uma das três escolas da rede Senai que pode emitir certificação internacionalpara reparação de veículos de alta tensão em parceira com Instituto de Certificação Alemão (TÜV RHEINLAND).

Confira aqui as fotos do lançamento.

Sistema Fiep - Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná
Av. Cândido de Abreu, 200 - Centro Cívico - 80530-902 - Curitiba-PR