Técnico em Edificações é possibilidade de carreira na Construção Civil

Curso do Senai no Paraná tem duração de dois anos e é possível optar por modalidade semipresencial

Mão direita dos arquitetos e engenheiros, o técnico em edificações é atualmente um dos profissionais mais requisitados na área da Construção Civil. Responsável pelo acompanhamento de projetos, testes de qualidade, recebimento de materiais e aplicação das normas técnicas de segurança e saúde nos canteiros de obras, o técnico em edificações tem noções de Desenho técnico, Projeto Arquitetônico, Projeto de Instalações Hidráulicas, Incêndio e Gás, Sistemas e Processos Construtivos, Desenho Técnico de Edificações, entre outros. O melhor é que a formação pode ser feita por meio de um curso técnico em Edificações, que tem duração de apenas dois anos.

No Paraná, o curso é oferecido pelo Sistema Fiep, via Senai no Paraná, nas modalidades presencial ou semipresencial. Com a certificação, o profissional poderá atuar na execução e acompanhamento de obras e em diversas áreas da indústria, como laboratórios de controle de qualidade e comercialização de materiais para a construção civil.

Segundo o Mapa do Trabalho Industrial 2017-2020, elaborado pelo Senai, o setor da construção civil ocupa o topo da lista das 13 áreas de formação profissional com maior demanda nos próximos anos. “Há uma grande procura das indústrias que fabricam insumos para a construção civil, especialmente na área de análise de materiais e controle de qualidade. Além disso, pela legislação, estes profissionais também podem executar construções de até 80 m²”, explica Francismara Gawlik, tutora do curso semipresencial do Senai no Paraná. 

Entre as características essenciais para quem busca este curso estão capacidade analítica e afinidade com matemática. “O cotidiano envolve muitos cálculos, inclusive para a parte de orçamento de obras e custos de materiais. Também é necessário ter conhecimento aprofundado em segurança e saúde no trabalho, pois são indispensáveis neste segmento. Tudo isso é contemplado nos cursos técnicos do Senai”, explica.

Curso técnico: sinônimo de oportunidades

Alternativa aos cursos de graduação que duram entre quatro ou cinco anos, os cursos técnicos são uma opção para quem quer disputar uma vaga no mercado e se especializar. Além disso, a vivência em laboratórios que são verdadeiras “mini-indústrias” permite que o aluno mescle as aulas teóricas e práticas condizentes com a realidade que encontrará no mercado de trabalho.

De acordo com dados do Senai, 70% das pessoas que fazem algum curso técnico conseguem um emprego logo depois de concluir o curso. Para o cargo de técnico em edificações, por exemplo, a remuneração pode variar entre R$ 2.130 a R$ 6.150*

Para a responsável técnica pelo Instituto Senai de Tecnologia em Construção Civil de Maringá, Juliana Paiola, fazer um curso técnico é a melhor maneira de descobrir se existe afinidade com a área de construção civil. “A graduação tende a mostrar mais a teoria. No curso técnico, o aluno já aprende na prática sobre a profissão e enfrenta os desafios do cotidiano das obras. O semipresencial por ter 20% das aulas práticas, também traz essa vivência dentro da profissão, isso explica a alta adesão por essa modalidade”, explica.

As matrículas para o curso técnico em Edificações estão abertas e disponíveis em quatro unidades do Senai no Paraná. Para realizar a matrícula, os interessados devem apresentar a documentação necessária na unidade onde serão realizadas as aulas presenciais. O edital com a lista de documentos para inscrição, bem como outras informações, está disponível no site www.senaipr.org.br/cursos-tecnicos.

*fonte: Confederação Nacional da Indústria (CNI), dados referentes ao setor de construção civil. Pesquisa feita em 18 estados. Ano: 2012

 

SOBRE O SISTEMA FIEP

O Sistema Fiep é composto pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Serviço Social da Indústria (Sesi), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e Instituto Euvaldo Lodi (IEL). As instituições trabalham integradas em prol do desenvolvimento industrial. Com linhas de atuação complementares, realizam a interlocução com instâncias do poder público, estimulam o fomento de negócios nacionais e internacionais, a competitividade, a inovação, a tecnologia e a adoção de práticas sustentáveis, e oferecem serviços voltados à segurança e saúde dos trabalhadores, à educação básica de crianças, jovens e adultos, à formação e aperfeiçoamento profissional, à formação de nível superior, além de capacitação executiva. Sistema Fiep: nosso i é de indústria.