Institucional > FIEP

RITMO DAS VENDAS DA INDÚSTRIA DO PARANÁ CAI EM ABRIL

Em abril, o resultado das vendas reais da indústria foi 0,3% negativo, em relação a março; no acumulado do ano o faturamento do setor cresceu 3,97%.

As desvalorizações do dólar e das commodities e a elevação da taxa de juros diminuíram o ritmo das vendas industriais paranaenses. Com isso, o faturamento do setor caiu 0,3% em abril, em relação a março. Com o resultado negativo, a curva de vendas, que era ascendente, se estabilizou, mas continua no mesmo patamar de 2002, considerado o melhor ano da indústria do Paraná.

Para o presidente do Sistema Fiep, Rodrigo da Rocha Loures, o setor industrial cresce movido pela inércia de 2004, quando o dólar forte manteve a produção e as exportações em alta. ”Apesar da queda do dólar em 10%, os empresários continuam mantendo as exportações, ainda que, no futuro, o cenário se mostre mais restritivo em função da valorização do real, das altas taxas de juros e queda das commodities”, afirma. Em abril de 2004, a taxa Selic estava em 15,5%, contra os 19,5% no mesmo mês deste ano.

Apesar da queda no mês, o resultado das vendas da indústria local se mantém positivo em 3,97%, quando comparado o balanço do primeiro quadrimestre deste ano com o do mesmo período de 2004. Dos dezoito itens pesquisados, metade contribuiu para alta no faturamento industrial (Veja quadro) neste início de 2005. Os dados são da pesquisa Análise Conjuntural, elaborada pelo Departamento Econômico da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e divulgada dia 6 de junho.

Segundo o coordenador do Departamento Econômico da Fiep, Maurílio Schmitt, em abril as vendas industriais caíram 0,85% dentro do Paraná e 7,28% para os demais estados brasileiros. Já o faturamento obtido com as exportações cresceu 21,71%. A avaliação é que o crescimento no resultado das vendas para o Exterior foi puxado por contratos fechados na época do dólar alto (para produtos com valor agregado) e no caso dos derivados de comoditties a alta está se dando pelo maior volume de embarques. ”Apesar de vender três vezes mais farelo de soja no quadrimestre, o faturamento deste segmento não cresceu na mesma escala, não ultrapassando 90% de aumento sobre 2004”, informa Schmitt.

No acumulado do ano, o faturamento industrial gerado pelas exportações cresceu 9,12%, sobre o mesmo período de 2004. Também houve crescimento de 10,39% com as vendas dentro do Paraná. Ao mesmo tempo, houve retração de 3% no resultado do comércio com outros estados brasileiros. Ainda de acordo a pesquisa do Departamento Econômico da Fiep, as compras do setor industrial paranaense dentro do Brasil, entre janeiro a abril, foi recorde, com um aumento de 22,2% sobre o mesmo período de 2004. As compras de produtos importados tiveram alta de 7,3%. Também houve expansão das compras dentro do Paraná (7,77%).

Emprego – Seguindo uma tendência histórica, a indústria paranaense gerou 11 mil novas vagas de trabalho (8,46%) sobre o primeiro quadrimestre de 2004. Material de transportes (40,89%), Química (19,09%) e Produtos Alimentares (13,27%) foram setores que mais aumentaram seus quadros.

Os setores com maiores declínios foram Matérias Plásticas (20,46%), Mecânica (13,08%) e Têxtil (8,61%). Segundo Maurílio Schmitt, estes segmentos passam por reestruturações. Em abril, capacidade instalada subiu para 78%, um ponto percentual acima de março, enquanto as horas trabalhadas aumentaram 5,55%. Em relação a março, a massa salarial líquida dos trabalhadores da indústria apresentou aumento de 3,19%.

GENÊROS COM MAIORES VENDAS NO QUADRIMESTRE
GENÊROS VARIAÇÃO
Químico………………………………………………………………..39,91%
Farmacêuticos e Veterinários………………………………….21,31%
Material de Transportes………………………………………….13,52%

GENÊROS COM MENORES VENDAS NO QUADRIMESTRE
GENÊROS VARIAÇÃO
Couros, Peles e Produtos Similares………………………..-61,56%
Mecânica…………………………………………………………….-30,59%
Matérias Plásticas………………………………………………..-19,11%

GENÊROS QUE MAIS COMPRARAM NO QUADRIMESTRE
GENÊROS VARIAÇÃO
Papel e Papelão………………………………………………….104,71%
Bebidas……………………………………………………………….54,44%
Material de Transportes……………………………………….. 45,06%

GENÊROS COM MENORES COMPRAS NO QUADRIMESTRE
GENÊROS VARIAÇÃO
Perfumaria, sabões e velas……………………………………-52,72%
Couros, Peles e Produtos Similares………………………..-51,73%
Editorial e Gráficas……………………………………………….-37,10%

About Author