Institucional > FIEP

Educação do Trabalhador

Sesi Paraná conquista autonomia para certificar alunos

Sesi Paraná conquista autonomia para certificar alunos


A autorização para que a própria entidade passe a avaliar e certificar os alunos do seu programa de escolarização de trabalhadores industriários foi dada pelo Conselho Estadual de Educação (CEE/PR).


O Serviço Social da Indústria (Sesi) do Paraná conquistou a autonomia para certificar os alunos participantes do seu programa de educação, voltado aos trabalhadores das indústrias do Estado. Até então, os certificados eram emitidos pela Secretaria Estadual da Educação ou secretarias municipais. A autorização para que a própria entidade passe a avaliar e certificar os alunos foi dada pelo Conselho Estadual de Educação (CEE/PR), nesta quinta-feira (05 de julho).

“É uma importante conquista das indústrias paranaenses, porque poderemos ampliar e aprimorar este programa de educação, passando a aplicar uma metodologia própria para atender a realidade do trabalhador da indústria”, explica o presidente do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Rodrigo da Rocha Loures.

Desenvolvido pelo Sesi, o Programa de Educação do Trabalhador permite à indústria ofertar ao funcionário o ensino fundamental e médio, em aulas ministradas, normalmente, no próprio ambiente de trabalho. A maioria dos participantes é formada por industriários, mas o programa atende também familiares dos trabalhadores e pessoas da comunidade onde a indústria está inserida.

A meta para este ano é beneficiar 4.000 trabalhadores pessoas – o dobro do número do ano passado, quando o programa atendeu a 2.000 alunos. Desde sua implantação, em 1998, o programa beneficiou 48.000 trabalhadores – dos quais cerca de 21.000 só nos últimos quatro anos.
Metodologia própria – O Sesi Paraná continua parceiro da Secretaria Estadual da Educação, segundo enfatiza o diretor executivo da entidade, José Antônio Fares. “O que ganhamos com a autonomia para certificação é mais flexibilidade para o desenvolvimento do programa”, explica Fares. “A medida valoriza a marca Sesi e, por conseqüência, as indústrias paranaenses”, afirma.

Ele lembra que com a conquista da autonomia, o programa passa a aplicar a metodologia Sesieduca, apropriada para o ensino de trabalhadores jovens e adultos. Além disso, o processo de avaliação estará adequado e sintonizado com a metodologia de ensino.

A metodologia Sesieduca tem como diferencial o material didático, desenvolvido com consultoria do Instituto Paulo Freire. O conteúdo é voltado à realidade da indústria onde atua o trabalhador, à sua comunidade e meio social. A equipe técnica e de professores que atua no programa vem recebendo intensa capacitação para aplicação da metodologia.

About Author