Notícias > Artigos

Inovação em tempos de crise e o primeiro passo para inovar

O Senai no Paraná oferece soluções de inovação compactas e eficientes com o Programa Nagi, e o investimento cabe no bolso do empreendedor

O atual cenário econômico brasileiro não é fator que conceda boas expectativas para a grande maioria dos empresários. Cada vez mais as empresas se veem obrigadas a cortar gastos e diminuir a folha de pagamento. O faturamento cresce em ritmo lento e o investimento em melhorias e desenvolvimento é tratado com cada vez mais cautela. Para sobrevivência no mercado, os empresários tentam diferenciação de seus produtos e serviços perante a concorrência.

Dentro deste contexto, o investimento em inovação é crucial para garantir o poder competitivo da empresa e gerar valor aos clientes, de maneira a conseguir uma fatia maior de mercado. E quando entramos neste âmbito, temos como exemplo as atuais empresas líderes em seus segmentos, que possuem grandes investimentos em inovação, assim como outras empresas que conseguem se destacar no mercado atual.

Por outro lado, a situação econômica brasileira não mostra um cenário que incentive o empreendedor a ter a pretensão de realizar grandes investimentos em quase todos os setores. Quando o assunto é 2016, os empresários também se mostram reticentes para investir, segundo dados da pesquisa de Sondagem de Investimentos realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Entendendo essa necessidade e os recentes rumos da economia, o Centro Internacional de Inovação do Senai no Paraná, oferece soluções  em inovação que proporcionam competitividade e vantagens para as empresas de pequeno, médio e grande porte, e que não necessitam de grande investimento. São as consultorias do Programa Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação (Nagi). O programa possui metodologia in company, com encontros e workshops, e outra modalidade mais rápida, que conta com a consultoria por meio de capacitações ministradas em quatro encontros. Para essa última, as inscrições ainda estão abertas.

É realidade que a economia brasileira não está fornecendo indícios promissores nem mesmo para os próximos anos, porém, o investimento em desenvolvimento e inovação é o diferencial para empresários continuarem a ter destaque no mercado e garantirem crescimento para os próximos anos.  Entretanto, a prática inovadora não é uma rotina entre os empresários brasileiros. Segundo dados do ranking do Fórum Econômico Mundial, divulgado esse ano, apenas 6% dos empresários brasileiros investem em inovação em produtos e/ou serviços, fator que faz com que o país amargue a última posição no ranking mundial de inovação. Diante desse fato, optar por consultorias mais compactas também pode servir como primeiro passo para a implantação de uma cultura de inovação efetiva e duradoura no futuro.

Para maiores informações sobre o programa Nagi e inscrições, entrar em contato com o telefone (41) 3271-7465 ou cinthia.almeida@fiepr.org.br.

Por Cezar Felipe Moreira, da equipe de Gestão da Inovação do Centro Internacional de Inovação do Senai no Paraná.