Edital Senai Sesi de 2016 beneficia projetos de inovação tecnológica e saúde

Empresas paranaenses podem se inscrever, com chance de investimento para o desenvolvimento de ideias

Empresas paranaenses interessadas em desenvolvimento de projetos nas áreas de inovação tecnológica, de protótipos e na área de saúde e segurança do trabalho têm a chance de concorrer a um aporte financeiro. O Edital Senai/Sesi de Inovação recebe propostas de empresas desde o dia 14 de março. São R$ 23,6 milhões disponíveis – cada projeto pode receber até R$ 400 mil. O prazo para inscrições das empresas no primeiro ciclo de propostas vai até 11 de abril.

O financiamento é direcionado desde startups a indústrias. Os detalhes sobre o edital e o cronograma de todos os ciclos de propostas (três no total) estão no site www.editaldeinovacao.com.br.

O Paraná é um estado com bom desempenho no edital – em 2015, sete projetos foram aprovados pelo Senai no Paraná. O objetivo do edital é tornar as ideias inovadoras concretas e o Senai tem papel de possibilitar que as empresas tenham estruturas para essa ideia sair do papel, segundo o coordenador de Inovação Tecnológica do Senai no Paraná, Felipe Couto. “É importante identificar quais projetos têm grande potencial no mercado e que necessitam a estrutura dos institutos de tecnologia para serem desenvolvidos”, explica.

Os laboratórios, sistemas e institutos do Senai no Paraná serão utilizados para colocar a ideia em prática, segundo Couto. A instituição já possui um papel importante nesse sentido, ao acompanhar startups que possuem diferenciais para a aplicação de ideias em editais de inovação, por possuírem grande potencial de crescimento.

Em uma confluência de ideias entre o Instituto Senai de Eletroquímica e a empresa Imunova, surgiu o projeto de desenvolver sensores biológicos com tecnologia eletroquímica, que foi inscrito em 2013 no Edital Senai Sesi. Segundo o diretor de pesquisa e desenvolvimento da empresa, Max Ingberman, a ideia é obter um sensor que indique em campo que doença um determinado animal tem, possibilitando uma velocidade maior no controle do problema. A participação no edital foi importante, segundo Ingberman, porque “o custo é elevado para produzir o projeto sozinho. O edital viabilizou uma parte essencial no desenvolvimento da ideia”.

Doenças e acidentes

O edital contempla, ainda, iniciativas que reduzam riscos de doença e acidentes de trabalho na indústria – para essa área, o valor é de R$ 3,6 milhões, pelo Sesi. Nesta primeira fase do edital, cujo envio dos projetos podem ser feitos até o dia 11 de abril, serão escolhidas apenas soluções que combatam a Dengue, a Chikungunya e a Zika – o país vive hoje uma epidemia dessas doenças, pela proliferação do mosquito Aedes Aegypti.

“Qualquer indústria e empresa com alguma iniciativa para financiamento da ação pode se inscrever no edital. No primeiro ciclo, a intenção é tratar essas três doenças. Os próximos terão novos temas. Caso as indústrias tenham alguma ideia, independente do tema, já pode nos procurar para montarmos o projeto em parceria”, explica o gestor do Instituto Sesi de Inovação em Longevidade e Produtividade, Rodrigo Meister de Almeida.

O Sesi aceitará somente propostas que estejam alinhadas com os desafios temáticos, relacionadas com grandes problemas nas indústrias brasileiras, onde existe uma lacuna para desenvolvimento de serviços e produtos para melhoria de segurança, saúde e produtividade. Os temas são lançados pelo Sesi sempre antes do início das avaliações de cada ciclo.

De acordo com Meister, além do edital, o Instituto conta com capital próprio e de outras frentes para transformar ideias que cuidem da saúde e da capacidade de trabalho em inovações reais. “Toda ideia inovadora que busque o bem estar através do trabalho pode ser trazida ao Instituto e transformado em uma ação efetiva”.  O Instituto mantém, ainda, parceria com o IEL Paraná, para desenvolvimento de pesquisas e talentos.

Incubadora com inscrições abertas

Outro edital está com inscrições abertas. Startups podem realizar um período de aceleração de projetos e acompanhamento de ideias, por meio do edital da Incubadora do Senai no Paraná. É uma oportunidade para empresas desenvolverem empreendedorismo de alto impacto, com projetos inovadores. São três vagas disponíveis para empresas residentes – que ficam instaladas na Incubadora – e cinco vagas para não-residentes – que recebem o mesmo acompanhamento, mas não se instalam no Senai.

Segundo o consultor de negócios e responsável pela Incubadora, Mário Calzavara, as empresas ficam de um a dois anos com esse acompanhamento. “O nosso diferencial é o acesso ao mercado industrial. Apesar de sermos uma incubadora funcionamos mais como uma aceleradora, auxiliando no acesso a mercado e recursos financeiros, como fundos de investimento e investidores anjos” diz.

Consultoria em editais

A empresa Engpiso apresentou um projeto ao Edital Sebraetec Bahia – no qual ficou em primeiro lugar. A ideia consistiu no desenvolvimento de argamassa que melhorará o desempenho térmico e acústico de uma laje. Com isso, também terá aporte financeiro para concretização do plano. O Instituto Senai de Tecnologia em Construção Civil de Ponta Grossa deu consultoria para a empresa apresentar o estudo no edital e auxiliará no desenvolvimento do projeto. Segundo a analista técnica do instituto, Eliane Jorge dos Santos, o projeto tem como prioridade “trazer conforto para o usuário” da construção que possui esse tipo de argamassa.

Serviço:

Para se inscrever, os responsáveis precisam ter contrato social, CNPJ e certidões negativas em dia. O prazo para envio dos projetos avaliados no primeiro ciclo do edital é no dia 11 de abril.  Todos os detalhes da inscrição, como documentos necessários, data de cada ciclo e temáticas estão disponíveis no edital, que pode ser baixado no link: http://app2.fiepr.org.br/licitacao/html/index.php?system=arquivos&action=listar&id=7328.

About Author