Com consultoria do Sesi, Radiante lança Relatório de Sustentabilidade 2015

A Radiante Engenharia de Telecomunicações l acaba de lançar seu Relatório de Sustentabilidade 2015. Com o apoio da Consultoria Sesi em Gestão da Estratégia e Sustentabilidade, foi realizado o planejamento estratégico da empresa de acordo com as diretrizes da GRI considerando os aspectos de maior impacto para o negócio e seus públicos de relacionamento. O relatório apresenta os resultados ambientais, econômicos e sociais e as ações lideradas pelo Comitê de Sustentabilidade Radiante.

Entre as práticas adotadas está o programa “Radiante Ambiental” que diz respeito à adequação e criação de procedimentos voltados ao meio ambiente e ao engajamento dos colaboradores na causa ambiental. Como exemplos, destacam-se a implantação de um novo depósito intermediário de resíduos sólidos e a destinação e comercialização corretas de resíduos.

Já no aspecto social, a Radiante ampliou em 170% o investimento em treinamento e educação de colaboradores em relação a 2014, além de promover ações de qualificação profissional e apoiar iniciativas voltadas à educação, esporte e saúde na comunidade. Os resultados dessas e outras operações ambientais se refletem nos indicadores de 2015: economia de 33,88% no consumo de energia elétrica em relação a 2014, 576 toneladas de CO² a menos emitidas pela frota de veículos, além do pioneirismo no segmento de telecom com a criação do Programa de Logística Reversa para reciclagem de cabos de fibra ópticas, inédito no Brasil.

De acordo com a consultora em sustentabilidade do Sesi, Renata Fagundes Cunha, no relatório de 2015 é possível identificar o aperfeiçoamento de processos de gestão e a consequente melhoria de índices de desempenho econômico, ambiental e social. “Ao atrelar as diretrizes GRI ao planejamento e estratégias de gestão, a Radiante utiliza estes indicadores mundialmente reconhecidos como uma ferramenta de sua gestão. Dessa forma, a empresa presta contas para os públicos com os quais a organização se relaciona e, sobretudo, traça metas, medindo-as e melhorando-as ano após ano”, explica.

Renata ainda ressalta que o reforço da sustentabilidade na cultura e gestão organizacional é fundamental para empresas manterem-se sólidas em períodos econômicos menos favoráveis, visto que reside em preceitos éticos, no planejamento, na visão de longo prazo e na implantação de mecanismos inovadores.

por William Saab

About Author