Missão Bélgica

O CIN esteve na região da Valônia em busca de oportunidades

No início de setembro, o Sistema Fiep, por meio de seu Centro Internacional de Negócios (CIN) e a convite da AWEX (Agência de Exportação e Investimento Estrangeiro da Valônia), com quem tem um Memorando de Entendimentos – MOU, esteve em uma missão na região em busca de oportunidades para as indústrias brasileiras.

Inovação é palavra chave na Valônia, pois as empresas são fortemente envolvidas com a academia, tanto para inserção de profissionais conforme as demandas do mercado, como para o desenvolvimento de projetos. As empresas se diferenciam por atuar em nichos específicos que necessitam de altos padrões de qualidade, conseguindo competir com grandes países (geográfica e economicamente), unindo tradição e inovação.

Um dos polos de competitividade visitados foi o Logistics in Wallonia, que se dedica ao setor do transporte, da logística e da mobilidade. A proposta é inserir os envolvidos num processo de inovação; antecipar os desenvolvimentos tecnológicos, não tecnológicos e ambientais; e ainda dar acesso aos recursos necessários para a geração de valor e atividades.

Para se ter ideia, a Bélgica está no 3º lugar mundial no ranking de performance logística (o Brasil, em 54º). Entre os motivos estão a centralidade geográfica (é acesso fácil à Inglaterra, França e Alemanha) e a interconexão logística com diferentes modais.

No quesito transporte de cargas, todas as regiões belgas (Bruxelas, Flanders e Valônia) estão no TOP 10.  O Alibaba (grupo de e-comerce chinês) está com um centro de distribuição desde 2018 na região da Valônia, chamando a atenção de outras empresas chinesas – existe uma conexão ferroviária até a China que leva 14 dias.

O transporte aéreo se posiciona no 7º lugar no mundo, sendo o aeroporto de Liège quase que exclusivo ao transporte de carga, diferenciando-se pela possibilidade de pouso em qualquer hora do dia.

Já o porto autônomo de Liège é o terceiro porto fluvial europeu e permite acesso para navios de mais de 9.000 T mediante sua conexão direta com o Porto da Antuérpia via o canal Albert.

Há ainda o Liège Trilogiport, uma infraestrutura multimodal situada ao longo do canal Albert que garante conexões de qualidade com os grandes portos marítimos da Antuérpia, de Roterdã e de Dunkirk e localiza-se no cruzamento de uma importante rede de autoestradas e ferrovias. Trata-se de uma parceria público (investimentos)-privada (administração), com concessões de 30 anos.

Além do setor logístico, o da Saúde e Biotecnologia fez parte da imersão. Uma das empresas visitadas foi a Onco DNA, que desenvolveu um software para identificação do melhor tratamento de câncer conforme a análise customizada do diagnóstico dos pacientes. Além disso, o software serve como um big data, a partir do follow-up dos casos, sendo compartilhado com a comunidade científica, impulsionando novas pesquisas. A empresa começou como uma startup, recebeu investimento privado, de modo que enfatiza o diferencial do ecossistema de inovação presente na Bélgica.

Fundada em 1986, a empresa IBA (Ion Beam Applications) é especializada na concepção, na produção e na comercialização de equipamentos de diagnóstico e de tratamento de câncer. O grupo produz e vende também radioisótopos, equipamento usado para identificar o tumor em áreas de risco (órgãos próximos) e tem aplicabilidade principalmente em crianças, com unidades em Washington, Beijing, Alemanha e Bélgica.

Já a Univercells, fundada em 2013, acaba com as barreiras em relação à bioprodução reinventando a arquitetura do processo. Aproveitando o melhor das inovações tecnológicas, permite uma implantação rápida da produção de produtos biológicos low-cost e localizada, tendo como foco áreas remotas ou países em desenvolvimento com pequenos hospitais.

Possui tecnologia voltada para a produção de vacinas; com equipamentos modulares e flexíveis adaptáveis às necessidades locais. A implantação local de plataformas de fabricação rentáveis permite a produção de produtos biológicos “no país, para o país” criando valor para todos – fabricantes, sistemas de saúde e pacientes.

Outro destaque é o Leansquare. Parte do cluster Digital Wallonia, é um fundo de investimentos cujo objetivo é investir em capital de risco nas startups da nova economia, apresentando um verdadeiro potencial de crescimento e/ou de modelos de referência (role model). O foco é nos setores de biotecnologia, musictech, mediatech, industria 4.0, agro food, imobiliário, critividade e energia. Estão construindo um espaço de coworking com 1050 lugares.

Em outubro as cidades de Porto Alegre, Belo Horizonte e Curitiba receberão a Belgium Week para estreitar as relações entre as regiões. Na capital paranaense o evento será promovido no dia 16 em parceria com o Centro Internacional de Negócios (mais informações em breve).

 

 

 

 

About Author