Fiep formaliza posse de sua nova diretoria

A partir desta terça-feira (1º), o industrial Carlos Valter Martins Pedro passa a comandar a entidade; cerimônia festiva de transmissão do cargo está marcada para 28 de outubro

Carlos Valter e Edson Campagnolo assinam o termo de posse da nova diretoria (Foto: Gelson Bampi)

A Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) realizou, na noite desta segunda-feira (30) a Assembleia Geral Ordinária de posse de sua nova diretoria para o quadriênio 2019-2023. O industrial Carlos Valter Martins Pedro, que no processo eleitoral liderou a chapa “Foco na Indústria, Fiep para os Sindicatos”, assume a presidência, sucedendo a Edson Campagnolo, que comandou a entidade nos últimos oito anos.

A assembleia foi uma formalidade prevista em estatuto para dar início à nova gestão, que começa oficialmente nesta terça-feira (1º). Uma cerimônia festiva para marcar a transmissão do cargo está marcada para o dia 28 de outubro. Após assinar a ata de posse, Carlos Valter destacou a atuação das quatro instituições que compõem o Sistema Fiep – Fiep, Sesi, Senai e IEL – em prol do fortalecimento da indústria paranaense. “Como industrial, valorizo o trabalho e a ação dessas casas. A indústria precisa delas para a qualificação profissional, a saúde e a segurança do trabalhador e agora, mais do que nunca, no apoio técnico e tecnológico para a evolução da indústria do Paraná”, disse.

Segundo Carlos Valter, o foco da nova diretoria será reforçar ainda as ações que busquem a sustentabilidade do Sistema Fiep e a agregação de valor nos serviços prestados ao setor industrial, contando para isso com os colaboradores da entidade. “Temos praticamente 4 mil funcionários no Sistema Fiep. Vamos fazer juntos. Nada vai acontecer se não for pela união dos interesses da nossa diretoria com a ação direta, efetiva, motivada e atuante do corpo funcional da casa”, declarou.

Já Edson Campagnolo, que encerra seu segundo mandato à frente da entidade, disse sair com sentimento de dever cumprido. “Fico feliz e honrado de ter servido a comunidade industrial do Paraná por oito anos”, declarou. “O que eu levo é um aprendizado. Fiz amigos, conheci pessoas não só comprometidas comigo, mas com a Federação das Indústrias. O momento que o país atravessa é de união nacional e pretendo trabalhar nesse sentido, contribuindo e somando”, completou.

Para Campagnolo, o Sistema Fiep hoje é uma entidade revigorada, que vai continuar se fortalecendo cada vez mais com a nova gestão. “O maior legado que eu deixo é perceber que a casa continua revigorada, dentro de das missões de Sesi, Senai, IEL e Fiep”, concluiu.

Relatório de gestão
Também nesta segunda-feira foi lançado o Relatório de Gestão 2011-2019. A publicação relembra as principais realizações da diretoria comandada por Edson Campagnolo. Entre elas, a implantação de um modelo de governança corporativa que ampliou o controle, a eficiência e a transparência na aplicação dos recursos da entidade. Também foram destaques os investimentos na estrutura do Sistema Fiep, principalmente para a criação de uma rede de Institutos Senai de Tecnologia e Inovação e na aquisição de unidades móveis, que levam serviços da entidade a todos os pontos do estado. O apoio aos sindicatos empresariais filiados também esteve no centro da estratégia, com a implantação das Casas da Indústrias em diversos municípios.

Todas essas e outras realizações podem ser conferidas na publicação, que está disponível em versão online.

About Author