Paraná mantém liderança nacional na produção industrial

Crescimento acumulado no ano é o maior do país, 6,5%, puxado principalmente pelo bom desempenho do setor automotivo

O setor automotivo continua puxando o crescimento da produção industrial do Paraná. Mais uma vez o estado lidera o ranking nacional, com crescimento de 6,5%, de janeiro a agosto deste ano. Os resultados mensais foram divulgados esta manhã pelo IBGE e revelaram que também houve alta de 2,3% em relação a agosto de 2018. O estado continua na contramão do desempenho da indústria nacional, que registrou queda de 2,3% em relação a agosto de 2018, e, de 1,7%, no acumulado do ano.

Setor automotivo continua puxando o crescimento da produção industrial do Paraná.
Crédito da foto: Gilson Abreu

Quando se avalia a participação de cada segmento no resultado do mês em relação ao mesmo mês do ano passado, o setor automotivo foi o que fez a maior diferença, seguido de produtos alimentícios e produtos de metal.  Ao analisar a taxa de crescimento das atividades no mesmo período, produtos de metal tiveram alta de 18,5%; veículos automotores, 15,4%; e produtos alimentícios, 4,2%. Os produtos que mais influenciaram foram artefatos de ferro e aço para a indústria automotiva, torres e pórticos de ferro e aço, parafusos e estruturas em chapas. No automotivo, destaque para caminhão-trator, reboques e semirreboques, automóveis e caminhões. E, no setor de alimentos, carnes e miudezas de aves congeladas, açúcares e rações.

Acumulado do ano

De acordo com o IBGE, o crescimento acumulado de 6,5% de janeiro a agosto deste ano também se deve ao bom desempenho do setor automotivo, seguido por alimentos e máquinas e equipamentos.

A taxa de crescimento no mesmo período é de 23,7% no setor automotivo (automóveis, caminhão-trator para reboque e semirreboque, e caminhões). Depois seguem máquinas e equipamentos (máquinas para colheita, aparelhos de refrigeração, tratores agrícolas e ar condicionado), com 17,5%. E, alimentos, com 8,1% de elevação, sendo carnes e miúdos de frango congelados, rações para animais, açúcares e carne bovina congelada os principais itens produzidos.

De acordo com o economista da Fiep, Evânio Felippe, a boa performance do setor automotivo pode estar atrelada à melhora no ambiente econômico e ao aumento nas vendas para atender o mercado interno. “Houve queda na taxa de juros, recuperação do emprego e expansão da oferta de crédito. Estes são indicativos de que as pessoas estão retomando seus hábitos de consumo e voltando a fazer financiamentos”, argumenta.

Este ano, as vendas de veículos cresceram 5,11%, segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos (Fenabrave). Informações do Banco Central dão conta de que houve crescimento de 9,8% no mercado de crédito para pessoa física, e de 4,1% para pessoa jurídica, no Paraná, em agosto deste ano, em relação ao mesmo mês do ano passado.

O mercado de trabalho também mostra sinais de recuperação. Os resultados da PNAD, do Ministério da Economia, mostram que houve crescimento de 1,9% no nível de ocupação no Paraná no segundo trimestre deste ano em relação a igual período de 2018. No mesmo intervalo aumentaram em 3,4% os empregos com carteira assinada no estado, comparando com o primeiro trimestre. As vagas informais no setor privado também cresceram 4,7% entre abril e junho.

A indústria está puxando o crescimento da empregabilidade no Paraná. A construção civil cresceu 5,1% e os demais setores da indústria, 3,6%, neste segundo trimestre de 2019 em relação ao primeiro.

About Author