Senai investirá em projetos que ajudam a prevenir, diagnosticar e tratar a Covid-19

Chamada do Edital de Inovação para Indústria disponibiliza R$10 milhões, além de apoio técnico e de estrutura por meio dos Institutos Senai de Tecnologia e Inovação

O Senai lançou uma chamada do Edital de Inovação para a Indústria que destinará R$10 milhões a projetos que ajudem a prevenir, diagnosticar e tratar a nova Covid-19. Serão selecionadas propostas que tenham aplicação imediata e com resultados em até 40 dias, como a fabricação de respiradores mecânicos e testes rápidos de detecção. Fabrício Lopes, gerente executivo de Tecnologia e Inovação do Sistema Fiep, explica que este é o momento de tomar todas as medidas cabíveis que ajudem a minimizar o impacto do coronavírus: “O Senai tem como compromisso apoiar a indústria e todo o país com pesquisa e desenvolvimento. Neste momento, nos colocamos à disposição da sociedade ofertando estrutura, especialistas e financiamento para as iniciativas contra o coronavírus”.

Os Institutos Senai de Tecnologia e Inovação possuem pesquisadores qualificados, equipamentos e infraestrutura especializada para desenvolvimento de produtos e processos inovadores, assim como para a oferta de serviços de consultoria e metrologia. Para esta chamada do Edital de Inovação, as empresas poderão contar com a competência da Rede dos Institutos Senai de Tecnologia e Inovação no Brasil e no Paraná que são aderentes ao tema da chamada, com destaque para: Meio Ambiente, Metalmecânica, Tecnologia da Informação e Comunicação e Eletroquímica. “Vamos nos unir às empresas para viabilizar soluções a fim de diagnosticar, combater e prevenir o contágio pelo coronavírus” ressalta Fabrício.

As empresas que tiverem soluções podem inscrever seus projetos no site do Edital de Inovação para a Indústria.

Conheça os requisitos para participar da chamada Missão contra Covid-19

Os R$ 10 milhões serão aplicados em soluções apresentadas por empresas em parceria com os Institutos Senai. Os projetos podem envolver temas como: ampliação do número de respiradores; desenvolvimento de testes rápidos e de equipamentos de proteção individual (EPIs) que possam substituir máscaras, luvas e sabonetes; reposição de peças e componentes utilizados em unidades de terapia intensiva (UTIs), entre outros.

Os projetos poderão ser de até R$ 2 milhões, não necessitando de contrapartida financeira ou econômica. A implantação e seus efeitos devem ocorrer no prazo máximo de 40 dias.

About Author